Aposentadas e aposentados de Santiago debatem direitos da categoria em reunião online


Aposentadas e aposentados do 29º Núcleo, região de Santiago, participaram na tarde desta sexta-feira (12) do encontro virtual dos aposentados.

A iniciativa é coordenada pelo Departamento dos Aposentados do CPERS, e tem o objetivo de levar informação sobre a luta, jurídico e pandemia até os professores e funcionários de escola associados do CPERS.

Na abertura Glaci Weber, coordenadora do departamento deu as boas-vindas aos participantes e parabenizou os aposentados que estão tendo que lidar com as tecnologias nesse momento de pandemia. “O departamento decidiu que ia continuar com as reuniões virtualmente. Estamos dando conta, mesmo não lidando tão bem com a tecnologia, o pessoal vem ensaiando, e se adaptando da melhor forma. Esse é o único jeito de continuarmos a luta no momento”, declarou Glaci.

A diretora do CPERS, Alda Bastos de Souza, falou da importância dos aposentados para a luta da categoria. “Os aposentados são sempre os primeiros a chegar para a luta. Nós aposentados, somos um dos grupos mais atingidos nessas mudanças no plano de carreira. Não só no desconto da previdência, mas nas mudanças feitas nos níveis. Perdemos muito com esse governo. E teremos muita luta ainda pela frente”, destacou Alda.

O diretor do Núcleo de Santiago, Leandro Wesz Parise destacou que a luta continua, mas agora de uma forma diferente. “Nossa atividade sindical não cessou, estamos com diversas demandas. Continuamos fazendo a luta, sem rua, mas da forma que dá. Estamos todas semanas nas rádios denunciando o que o governo está fazendo conosco. Agradecemos muito esse espaço, para poder levar a informação até nossos aposentados”, frisou.

A presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer fez uma breve análise sobre a luta da categoria contra o desconto da previdência para os aposentados.

“Fizemos o possível para que os aposentados ficassem fora da reforma da previdência. Para nós é um absurdo esse desconto, em vista que já contribuíram uma vida toda.  Por isso, é tão importante a nossa luta pela inconstitucionalidade desse desconto”, observou.

Helenir chamou a atenção dos aposentados que o governo errou em alguns contracheques e retirou o difícil acesso de alguns aposentados. “Pedimos que olhem com atenção seus contracheques e se tiver esse desconto procure imediatamente o nosso jurídico. ”

Ainda sobre os contracheques, a presidente informou que o Sindicato está buscando uma reunião com a Secretaria da Fazenda para que eles expliquem as diversas dúvidas da categoria.

A educadora também chamou a atenção dos presentes para alguns escritórios de advocacia que estão entrando em contado para entrarem com ações individuais. “Nós temos um dos melhores escritórios conosco. E tem muitos caindo na conversa de outros advogados.  Se você entrar com uma ação particular terá que pagar, e com o nosso escritório o Sindicato paga as ações através da mensalidade vocês, nossos sócios”, observou.

Leia mais: Desconto dos aposentados: jurídico recomenda que categoria não ingresse com ações individuais

Helenir também trouxe uma ótima notícia para os aposentados do núcleo, a aquisição de uma sede própria. “Estamos chegando ao 12º núcleo comprado na nossa gestão.  É um dinheiro que mais na frente o sindicato estará poupando, pois, não pagará mais alugueis”, destacou.

Informações jurídicas e sobre a pandemia

O momento da fala do jurídico é um dos mais aguardados pelos educadores aposentados, pois é a hora de saber como está a defesa dos seus direitos e andamento de ações.

Marcelo Fagundes, representando a assessoria jurídica do CPERS, retira todas as dúvidas, além de trazer informações de relevância para essa parte tão importante da categoria.

No encontro o advogado falou sobre o desconto da previdência, explicando a tramitação da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIn) ajuizada com outras entidades.

“Esse desconto é como se os aposentados perdessem o 13º, pois a contribuição do ano todo, vai somar no final do ano um salário. O governo está, na verdade, economizando uma folha de pagamento”, observou.

Marcelo ainda explicou que devido aos parcelamentos e atrasos de salários, muitos educadores tiveram que buscar empréstimos e grande parte da categoria encontra-se endividada. “Podemos notar que muitas dessas financeiras estão cobrando juros abusivos, então quem perceber que isso está acontecendo pode nos procurar para entrar com uma ação. Muitas financeiras vão ter que devolver dinheiro para os educadores. ”

Ele também falou sobre o mesmo destaque da Helenir, sobre advogados que não fazem parte da assessoria jurídica do CPERS oferendo seus serviços. “Nesse momento tem pessoas brincando com a vida dos aposentados. Estamos no Supremo Tribunal Federal em Brasília e Tribunal de Justiça do RS. O Sindicato já está com ação em conjunto, então não tem o porquê ter ação individual sobre o desconto da previdência. Então não caiam nessa, já estamos com a nossa ADIn aguardando somente o julgamento”, apontou.

Sobre a suspensão dos consignados Marcelo informou que no dia 5, o CPERS havia ganhado a liminar, mas logo depois o Banrisul recorreu e reverteu a situação, “Na próxima semana temos que fazer uma nova ação para solicitar novamente que os educadores não paguem os consignados durante a pandemia. ”

A diretora do CPERS, Sandra Terezinha Reggio, falou sobre a pandemia (COVID19) durante a reunião. “Sou uma pessoa de contato físico e nesse momento temos que manter distância, isso é muito difícil. Mas é o melhor a fazer nesse momento.”

Sandra levantou uma reflexão para os participantes. “Como será a nossa vida depois dessa pandemia?”

“A sociedade já passou por outras pandemias e logo depois tivemos um novo recomeço. E garanto que depois desta não seremos mais os mesmos. Teremos muitos desafios pela frente como a economia do nosso país, a nossa educação e saúde terão que ter novos rumos”, pontuou.

Sandra destacou que o governo federal não prioriza as vidas, tanto que estamos sem ministro da saúde nesse momento tão delicado.

“Esse vírus mudou toda a nossa rotina, toda a nossa vida. Mas nós temos uns aos outros pela tecnologia, pelo online. Neste momento precisamos nos cuidar e estar juntos. Temos que estar buscando informações verdadeiras sobre o vírus, sobre os infectados, sobre as mortes”, destacou.

“Essa pandemia mostrou que ninguém é melhor que ninguém. E que a solidariedade é muito importante. Com certeza sairemos dessa com a certeza que lutamos muito pelos nossos funcionários, familiares e educadores. Vamos passar por essa, se Deus quiser”, finalizou Sandra.

A diretora Vera Maria Lessês falou sobre o IPE Saúde e a atualização das contribuições dos segurados do Plano de Assistência Médica Complementar (PAC) e do Plano de Assistência Médica Suplementar (Pames).

No enceramento, Glaci falou sobre a pandemia e a preocupação do pico da doença estar recém começando no Estado. “É mais que necessário mantermos a guarda, não sairmos. Nós podemos sofrer novamente uma gripe espanhola que matou 1/3 da população. Nós queremos passar por isso, e ficarmos bem. Mas para isso precisamos nos cuidar e manter o isolamento social. ”

A diretora ainda parabenizou a todos que estão se adaptando a tecnologia e superando os desafios. “É uma imensa coragem nos empoderar do online, da tecnologia. Após os 60 anos fica mais difícil, mas estamos muito bem.  Agradecemos a participação de todos e considero um sucesso o nosso encontro, pois chegamos ao nosso objetivo”, concluiu.

Na próxima quinta-feira (18), o encontro virtual ocorrerá com os aposentados e aposentadas do 8º Núcleo (Estrela).

Veja também: 

▶️ Aposentadas do núcleo de Frederico Westphalen participam de reunião digital

▶️ Aposentadas de Bento Gonçalves debatem luta da categoria por reunião virtual

▶️ Educadoras aposentadas de São Luiz Gonzaga participam de reunião online com a direção central

▶️ Aposentadas e conectadas: educadoras do núcleo de Três de Maio dialogam com direção central por videoconferência

▶️ Sempre Ativas e sempre juntas: educadoras aposentadas debatem conjuntura por videoconferência

Notícias relacionadas