Aposentadas e conectadas: educadoras do núcleo de Três de Maio dialogam com direção central por videoconferência


Na tarde desta quinta-feira (14) ocorreu a segunda videoconferência realizada pelo Departamento de Aposentados do CPERS. Desta vez o encontro online ocorreu no 35º núcleo (Três de Maio).

A atividade tem o objetivo de, mesmo em tempos de pandemia, conectar as educadoras e educadores que construíram a história do CPERS, retirar dúvidas e preparar a luta contra os ataques dos governos de Eduardo Leite (PSDB) e Bolsonaro (sem partido).

A coordenadora do Departamento dos aposentados do Sindicato, Glaci Weber deu as boas-vindas aos presentes e coordenou o encontro online.

“É bom vê-los mesmo que virtualmente, o bom mesmo era dar um abraço em cada um, mas o momento não nos permite. Mas que bom que temos essas ferramentas com as quais podemos construir e ficar unidos” afirmou o diretor do 35º núcleo, Marino Simon.

A diretora Alda Bastos Souza falou da satisfação de estar falando com os presentes e destacou a má conduta do presidente Jair Bolsonaro em tratar o COVID 19. “É uma honra estar com vocês, pena que em uma situação dessa. Infelizmente não temos alguém no comando. Nosso presidente desdenha da situação complicada que enfrentamos com essa pandemia”, ressaltou.

A presidente Helenir Aguiar Schürer fez uma breve análise do momento enfrentado pelos educadores. “Podemos dizer que vivemos um momento difícil não só pelo enfrentamento da pandemia. Mas um momento que já dura 6 anos, com congelamento e atrasos de salários. ”

Outro destaque na fala da presidente se refere ao posicionamento do CPERS quanto à volta às aulas. “Não temos salas suficientemente grandes para garantir o distanciamento recomendado. Temos a clareza que nossas crianças e adolescentes não vão seguir as recomendações de usar máscaras e ficar sem contato com os colegas. Não podemos voltar enquanto não tivermos testes em massa para ver quem está infectado. Para nós as aulas não devem começar até termos o máximo de controle do Coronavírus.  Se em junho não tiver caído a curva acentuadamente não será possível voltarmos. O ano se recupera, a vida não. E o que mais temos de importante são as vidas dos nossos colegas e estudantes”, destacou Helenir.

Helenir relatou para os aposentados o que aconteceu na reunião como secretário da educação, Faisal Karam nesta terça-feira (12), abordando todos os assuntos do encontro. “O bom foi que finalmente conseguimos abrir um meio de negociação com o governo, uma reunião respeitosa. Mas de nada vale isso, se não conseguimos ganhos para a categoria”, observou.

Durante a reunião os(as) aposentados(as) fizeram perguntas e relataram suas preocupações. A aposentada Carmem Desboski, coordenadora dos aposentados do 35º núcleo, saudou a iniciativa do departamento e expôs a desinformação de muitos colegas da região quando ao desconto da previdência. “É um privilégio participar desta reunião com os representantes da direção central e o nosso jurídico. Infelizmente muitos aposentados do núcleo ainda não sabem desse desconto da previdência, não entendem porque neste mês tiveram seus salários descontados”, concluiu.

O escritório Buchabqui Pinheiro Machado, representado pelo advogado Marcelo Fagundes, respondeu todas as questões colocadas pelos participantes. “Sabemos que apesar de termos feito inúmeras denúncias e lutado muito contra o desconto da previdência, muitos aposentados foram surpreendidos com o desconto nesse mês. Mas ainda estamos aguardando o julgamento da nossa ADIN para reverter a situação, pois entendemos que nenhum aposentado deve pagar esse desconto”, afirmou.

O advogado pôs à disposição o escritório para ajudar em qualquer tipo de problema nos próximos contracheques. “Nós estaremos ajudando e auxiliando vocês no que for preciso. ”

Sobre o Difícil Acesso, Marcelo declarou que nenhum aposentado terá perda, pois esse valor já está incorporado em sua aposentadoria.

A coordenadora do Departamento de Saúde do Trabalhador, Vera Lessês destacou o grande protagonismo dos aposentados na luta. “Grande parte de quem faz a luta conosco são os aposentados, que estão sempre presentes na Assembleia Legislativa, atos e mobilizações. Vocês são peças importantes para o nosso sindicato. ”

Vera destacou que a humanidade já passou por outras pandemias e resistiu, mas que esse é o momento para cuidarmos da nossa saúde. “Esse momento está sendo muito difícil para nós, porque os governos de Leite e Bolsonaro estão se aproveitando para implementar suas políticas de retirada de direitos, já que não podemos nos reunir e fazer a luta da forma que estamos acostumados. ”

“Temos um presidente que não nos acolhe, que não nos representa.  Aqui no estado o governo adotou políticas mais severas de isolamento social e isso faz com que o Rio Grande do Sul seja um dos estados com taxa menor de mortes e infectados. Mas estamos vendo que ele está cedendo aos empresários e soltando as rédeas. E isso nos preocupa muito. Vamos ter a de defender a vida dos nossos professores, funcionários e alunos. Precisamos nesse momento lutar pelo isolamento social e cuidar da nossa saúde”, ressaltou Vera.

A diretora frisou que, assim que surgiu a pandemia, o IPE Saúde incluiu os exames da COVID-19. “Muitos educadores do interior me cobram, mas os laboratórios têm que se certificar para poder fazer os exames. Infelizmente os laboratórios não estão investindo em pessoas e equipamentos. Então reforço aqui, que por enquanto a melhor saída para quem precisa e fazer o exame pelo Sistema Único de Saúde (SUS)”, declarou.

No final do encontro, a diretora Glaci agradeceu a todos pela participação e reforçou que as reuniões online continuarão pelos núcleos do Sindicato. “Foi muito produtiva essa reunião, que é a segunda de muitas que teremos pelo estado. Também sugerimos para os núcleos se habilitarem e realizarem reuniões como essa para continuar em contatos com os sócios e fortalecer a luta” concluiu Glaci.

A próxima videoconferência será com os aposentados e aposentadas do 12º Núcleo (Bento Gonçalves), mas ainda sem data marcada.

Notícias relacionadas