Aposentadas de Bento Gonçalves debatem luta da categoria por reunião virtual


Nesta sexta-feira (29), ocorreu o 4º encontro do Departamento de Aposentados do CPERS realizado por videoconferência. Desta vez o núcleo que recebeu a iniciativa foi o 12º (Bento Gonçalves). A reunião online, que iniciou às 14h, teve a participação de quase 30 aposentados e aposentadas da região.

A atividade vai ocorrer nos 42 núcleos do Sindicato, e busca levar informações sobre a luta, questões funcionais e os ataques à categoria, que continuam em meio à pandemia.

Na abertura da atividade, a coordenadora do Departamento dos Aposentados, Glaci Weber, falou dos objetivos dos encontros e da satisfação de encontrar os aposentados mesmo que virtualmente, como o momento pede.

“É uma satisfação ver os aposentados se esforçando e vencendo esse desafio da tecnologia. Essa é a forma que encontramos de continuarmos unidos e preparando a luta que é necessária mesmo em tempos de pandemia”, ressaltou.

Já a coordenadora do Departamento de Cultura do Sindicato, Alda Souza Bastos ressaltou a importância do encontro e parabenizou a colega pela iniciativa. “É uma satisfação estar com vocês, ter a presença de todos e todas aqui junto conosco. Essa atividade é muito importante para dividirmos nossas angústias e nossos receios neste momento tão delicado que passamos”, declarou.

Para a diretora do 12º núcleo, Juçara Borges a reunião virtual ocorre em um momento oportuno, já que os aposentados e ativos estão com muitas dúvidas jurídicas. Juçara também falou do desejo de logo estarem todos juntos compartilhando da companhia um do outro.

“Esse encontro é muito importante para nós, estamos vivendo um momento muito triste. Quero dizer que nosso CPERS continua muito ativo e eu acompanho muito tudo que está acontecendo através do site e as redes sociais do sindicato”, afirmou  a aposentada Alzira Sanches.

A presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer, dividiu a alegria de estar vendo todos os rostos dos aposentados da região. “É uma satisfação ver todas essas carinhas de Bento Gonçalves. Esse núcleo é muito acolhedor, tanto que nossos últimos encontros foram todos aí”, observou.

Helenir falou sobre a pressão que a categoria fez na Câmara e no Senado em relação ao PLP 39/2020. Para que os educadores ficassem fora do congelamento salarial, previsto até 2022. “Mas Bolsonaro, com o aval do nosso governador vetou.  Mas a luta continua, agora nossa pressão será para derrubar o veto na Câmara. Isso vai garantir que em janeiro possamos receber reajuste salarial”, defende.

A presidente também informou aos presentes que a direção tenta uma reunião com a Secretaria da Fazenda para exigir esclarecimentos sobre o caos no contracheque dos educadores.

Outra questão levantada por Helenir é o retorno às aulas presenciais. “Sabemos que esse não é o momento de voltarmos. Escolas fechada, vidas preservadass. Até que tenhamos o verdadeiro controle do vírus, não vamos retornar. Essa é a nossa luta, preservar as vidas acima de tudo”, concluiu.

Jurídico esclarece as dúvidas da categoria

Durante a reunião os participantes fazem as perguntas para o jurídico e também para os dirigentes da direção central. Essa é a forma de levar até eles um esclarecimento sobre os assuntos e sanar dúvidas.

A aposentada Iraci Fiorentini destacou a importância do encontro e perguntou sobre a bagunça dos últimos contracheques.  “Tem muitos aposentados e ativos nos perguntando o porquê da história do contracheque suplementar, que na verdade foi uma bagunça. Estaremos repassando para os colegas tudo que será dito aqui pelo jurídico”, destacou.

Para a aposentada Ivana Machado o governo tenta mostrar o lado positivo das aulas remotas, mas a situação é bem outra. “ Nós sabemos que os professores e os estudantes não estão prontos para isso, pois muitos não têm as ferramentas necessárias”, destacou.

“Nós professores recebemos tablets que não funcionam, tanto que tenho que usar meu celular para as atividades”, denunciou a professora Tania Ferronato.

O advogado Marcelo Fagundes respondeu diversas perguntas, muitas delas particulares de cada aposentada. Mas uma que é de interesse de todos é o desconto da previdência. “O governo reduziu a previdência para quem está trabalhando e retirou dos aposentados. Então para os ativos está sobrando um pouquinho de dinheiro e para os aposentados está faltando. Mas vamos fazer de tudo para derrubar esse desconto”, destacou

Marcelo também falou da confusão dos últimos contracheques e frisou que essas questões ainda buscam ser resolvidas com a Secretaria da Fazenda, assim como os descontos da greve que os educadores ainda estão tendo a infelicidade de ver em suas folhas de pagamento.

Sobre o 1/3 das férias que não saiu no último contracheque, o advogado acredita que sairá no próximo. “Provavelmente vai ser lançado no próximo contracheque. As pessoas não vão perder esse dinheiro.”

O advogado Marcio Rosa, que é o responsável pelas questões jurídicas do núcleo, destacou que está à disposição para responder a dúvidas dos educadores quanto aos contracheques. “Estaremos ajudando no que for preciso. Sabemos que ainda virão muitas questões a respeito dos contracheques.”

No final do encontro, Jussara destacou que o governador não conhece a realidades das escolas. “É fácil fazer um plano no papel, mas colocar na pratica é diferente. Como o governo vai fornecer máscaras para todos, fazer a higienização correta, já que em muitas não tem nem funcionários para a limpeza. É muito preocupante que as pessoas não estão levando a sério, não são só os idosos, tem jovens perdendo a sua vida. Bolsonaro diz que não é grave, mas estamos vendo a cada dia mais mortes, já ultrapassamos as mortes da China. Nosso trabalho agora é garantir que as aulas retornem somente quando estivermos realmente seguros”, concluiu.

A diretora Glaci finalizou a reunião frisando a importância da luta que a categoria ainda tem pela frente. “Nós comprovamos hoje que temos que continuar a luta pela vida e pelos nossos direitos. Pelo que vimos teremos muita luta pela frente. Vimos que perdemos e que podemos perder muito ainda pela frente. E temos que continuar fortes e resistentes”, concluiu.

Glaci também informou que os próximos encontros serão nos núcleos de Frederico Westphalen e Santiago.

Veja também: 

Educadoras aposentadas de São Luiz Gonzaga participam de reunião online com a direção central

Aposentadas e conectadas: educadoras do núcleo de Três de Maio dialogam com direção central por videoconferência

Sempre Ativas e sempre juntas: educadoras aposentadas debatem conjuntura por videoconferência

Notícias relacionadas