Educadores lotam Câmara de Vereadores de São Luiz Gonzaga e exigem apoio contra pacote do governo


Nesta terça-feira (29), educadores do 33º Núcleo do CPERS (São Luiz Gonzaga) lotaram o plenário da Câmara de Vereadores da cidade para expor repúdio aos projetos do governo Eduardo Leite, que visam retirar direitos históricos da categoria.

“Vereador, quer garantir o seu voto? Pressione seu deputado para garantir os nossos direitos.” Este era um dos dizeres dos cartazes que professores e funcionários de escola exibiam durante a sessão para lembrar aos vereadores da importância da defesa da educação pública.

A insatisfação com o pacote do governo, que pretende alterar o Plano de Carreira do Magistério, o Estatuto dos Servidores (Lei 10.098) e a Previdência Estadual, foi justificada através do relato sobre as sérias consequências à categoria, que já sofre com cinco anos de salários congelados e 46 meses de salários atrasados e parcelados.

Caso seja aprovado, o projeto do Executivo penalizará ainda mais os educadores. Fim de todas as gratificações e vantagens, extinção dos triênios, quinquênios e avanços, difícil acesso apenas para escolas do campo, aumento do tempo de contribuição e redução dos proventos conforme a Reforma da Previdência Nacional, ampliação do tempo de contribuição para a aposentadoria, taxação dos aposentados, que passarão a contribuir com alíquotas que podem chegar a 16,32% do salário e reajuste zero por tempo indeterminado são alguns dos impactos.

Na ocasião, a direção do 33º núcleo entregou aos vereadores uma moção de repúdio ao projeto do governo. De acordo com o diretor do núcleo, Joner Alencar Marchi Nascimento, os parlamentares comprometeram-se a assinar.  “Destacamos a importância de pressionarem as bancadas na Assembleia Legislativa e garantirem os votos necessários para barrar o pacote desumano do governo”, observou. 

A pressão permanente em todas as esferas do Legislativo e lideranças políticas locais e estaduais foi uma das deliberações do Conselho Geral do CPERS, realizado em 21 de outubro.

Clique aqui para baixar o modelo de moção elaborado pelo CPERS.

Quer receber notícias do CPERS via whatasapp? Clique aqui!

Leia mais:

– Série de vídeos detalha os ataques do pacote desumano de Eduardo Leite
– Como o pacote de Leite afeta funcionários de escola, professores e aposentados
– Eduardo Leite quer destruir a carreira e economizar às custas dos educadores
– Nota técnica da assessoria jurídica do CPERS 
– Eduardo Leite quer que os professores paguem o próprio piso
– Pressão nos vereadores: baixe o modelo de moção de repúdio aos projetos
– Direções escolares se mobilizam contra ataques de Eduardo Leite
– Assine a carta das educadoras aposentadas contra os projetos de Eduardo Leite

 

 

Notícias relacionadas