Direção do IPE Saúde promete nomeação de conselheiros das entidades até outubro


Na tarde desta quarta-feira (19), representantes da direção e do jurídico do CPERS reuniram-se com a direção do IPE Saúde para cobrar a nomeação dos conselheiros(as) do sindicato e outras entidades classistas no Conselho de Administração da autarquia.

O Estado passou dois anos fora da Lei, já que desde outubro de 2018 as entidades aguardam a posse após o cumprimento de todos os prazos legais para a indicação. 

Durante o encontro, a presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer, ressaltou que é extremamente preocupante o descaso do Estado com a formação do órgão consultivo e deliberativo de uma instituição tão importante quanto o IPE Saúde.

“Elegemos nosso representante há quase dois anos e até hoje esperamos um posicionamento do governo. Essa situação nos preocupa muito porque representamos uma categoria grande e devemos satisfação aos nossos associados. Por isso estamos aqui hoje, para saber como está a situação e quando será resolvida”.

Marcus Vinicius Vieira de Almeida, diretor-presidente do IPE, garantiu que pretende finalizar o processo antes do encerramento do novo prazo legal, dia 6 de outubro, alterado após a aprovação  dos PLCs 115 e 116 na Assembleia Legislativa.

“Estamos cientes que o processe se estende desde outubro de 2018. Quando ingressei aqui, em agosto do ano passado, precisei focar na convalidação de alguns serviços, mas vamos solucionar essa situação. Com certeza até outubro os representantes estarão empossados.”

Marcus explicou que o procedimento será encaminhado ainda em agosto. 

“Espero que até o final de agosto a gente tenha as minutas dos ajustes internos de nomeação e integração dos conselhos para levar até a casa Civil e estabelecer o processo. Até final de setembro estaremos com toda a normatização pronta.” 

▶ Saiba como receber notícias do CPERS por whatsapp

A diretora do departamento de Saúde do Trabalhador, Vera Lêsses, lembrou que essa tem sido uma política constante dos últimos governos.

“Nós temos mais 140 mil vínculos, isso representa quase 10% dos usuários do IPE Saúde e esta é a primeira vez que estamos sem representante e isso nos preocupa muito, porque parece ser esse o posicionamento do governo, fechar todos os meios de diálogo”. 

O diretor-presidente afirmou que dará prioridade ao caso. “Não há nenhuma vontade de postergar ou atrasar o processo”. Ele ainda certificou que os conselheiros nomeados em 2018 só sofrerão alteração caso as entidades optem por isso. 

Leia também:

Precarizar para privatizar: IPE Saúde está fora da lei e sem Conselho Administrativo há dois anos 

Notícias relacionadas