Acampamento da Resistência: enquanto houver vontade de lutar, há esperança de vencer


“Eu vivi dois momentos dentro dessa categoria, o primeiro de grandes vitórias através da luta dos educadores. Hoje vivo um momento adverso, o de perda de direitos, mas que ainda assim conta com muita luta”, afirma a professora aposentada, Dina Marilú Machado Almeida, de Cachoeira do Sul.

Ela foi a responsável pela alimentação de quem passou pelo Acampamento da Resistência nesta quinta-feira (31). Sempre animada, apesar dos constantes ataques, ela ressalta que é somente através da luta e da resistência que a valorização se torna possível.

“Seguimos na luta para garantir os direitos que já conquistamos, porque basta um governo que não tenha uma visão em defesa da educação para que sejamos atacados violentamente, exatamente como está acontecendo agora”, afirma Dina, que compõe a direção do núcleo de Cachoeira do Sul.

Durante o dia, as educadoras de Cachoeira do Sul, Santiago, Santa Maria e São Gabriel realizaram diversas atividades, como uma oficina de cartazes e uma roda de composição para embalar e inspirar a resistência.

A 1ª Vice-presidente do CPERS, Solange Carvalho, relembra que mesmo com todas as dificuldades que a categoria enfrenta, a categoria se mantém firme na luta e na esperança de dias melhores.

“Seguimos firmes aqui na Praça da Matriz porque enquanto tivermos disposição para lutar, há esperança na vitória”, ressalta Solange.

Para a funcionária de escola, Vera Loremi de Lima Melego, de Santiago, participar das atividades do Sindicato é garantir que seus direitos sejam respeitados.

“Atuo no estado desde 1992 e posso afirmar, eu lutei pelo plano de carreira dos funcionários e por nossos direitos e hoje estou aqui para lutar para que esses direitos sejam mantidos em sua integralidade”, afirma Vera.

A luta dos educadores(as) gaúchos segue ganhando apoiadores.

Nesta quinta foi a vez dos deputados estaduais Sofia Cavedon e Valdeci Oliveira, da vereadora de Santa Maria, Celita da Silva e do presidente da Federação Democrática dos Sapateiros do RS, João Batista Xavier da Silva, visitarem o espaço e manifestar solidariedade.

Instalado no Dia do Professor, o Acampamento da Resistência é o marco inicial da greve, a ser deflagrada se Eduardo Leite enviar os projetos de mudança no Plano de Carreira ou na Previdência Estadual. Ao longo desta semana, as atividades são mantidas pelos núcleos de Cachoeira do Sul, Santiago, Santa Maria e São Gabriel.

Quer receber notícias do CPERS via whatasapp? Clique aqui!

Leia mais:

– Erros, inconsistências e omissões: governo infla dados para justificar reformas
– Ato unificado no dia 14 de novembro marcará luta contra desmonte do serviço público
– Série de vídeos detalha os ataques do pacote desumano de Eduardo Leite
– Como o pacote de Leite afeta funcionários de escola, professores e aposentados
– Eduardo Leite quer destruir a carreira e economizar às custas dos educadores
– Nota técnica da assessoria jurídica do CPERS 
– Eduardo Leite quer que os professores paguem o próprio piso
– Pressão nos vereadores: baixe o modelo de moção de repúdio aos projetos
– Direções escolares se mobilizam contra ataques de Eduardo Leite
– Assine a carta das educadoras aposentadas contra os projetos de Eduardo Leite

 

Notícias relacionadas