Plenárias seguem alertando educadores(as) sobre os riscos da Reforma da Previdência


O CPERS segue na estrada levando aos(às) educadores(as) informações e orientações sobre as brutais consequências que a Reforma da Previdência representa para a categoria, além de debater a pauta salarial. Nesta quarta-feira (20), professores(as) e funcionários(as) de escola dos Núcleos de Santa Rosa (10º), São Borja (16º) e Palmeira das Missões (40º) receberam a comitiva do Sindicato.

Um público atento e preocupado compôs o cenário das plenárias realizadas hoje. Para explicar como a reforma proposta por Bolsonaro prejudica a todos(as), de forma nefasta aos educadores e ainda mais brutal às mulheres, advogados da assessoria jurídica do CPERS detalharam a proposta.

“Em Palmeira das Missões tivemos uma grande plenária, que contou com a representação dos municípios de abrangência do núcleo. Todos saíram comprometidos com a paralisação contra a reforma, que ocorre nesta sexta-feira”, destacou o diretor do Departamento da Juventude, Daniel Damiani.

“Uma parcela significativa da categoria ainda não compreendeu o que está por vir. Por isso, as plenárias são importantes. Somente com muita luta e resistência conseguiremos evitar essa reforma e estabelecer um salário digno para os educadores e educadoras”, avaliou a diretora do Departamento de Educação do CPERS, Rosane Zan, durante plenária realizada em São Borja.

Em Santa Rosa, antes da realização da plenária, representantes do Sindicato visitaram escolas das regiões de abrangência do Núcleo. Uma oportunidade de conversar com a base e com estudantes sobre os riscos da aprovação da reforma e a fundamental resistência.

Mobilização para atos contra a reforma da previdência

Conforme deliberado no Conselho Geral, realizado no último dia 15, nesta sexta-feira (22), é dia de Paralisação e Ato contra a Reforma da Previdência. Durante as plenárias, os(as) educadores(as) foram orientados a participar dos atos em suas regiões.

Em Porto Alegre, a concentração ocorre às 14h, em frente ao Sindicato, seguida de caminhada até o Palácio Piratini. Ás 18h, o grupo une-se ao ato das centrais sindicais na Esquina Democrática. “O auditório lotado demonstra o interesse e a preocupação dos educadores e também da comunidade. Precisamos estar atentos, informados e mobilizados para não permitir que inviabilizem a nossa aposentadoria”, observou Helenir.

Acesse aqui a calculadora da aposentadoria

Perdas salariais

A situação de miserabilidade da categoria devido aos contínuos parcelamentos de salários e do 13º, os mais de quatro anos sem reajuste salarial e reposição da inflação foram pontos de destaque na abordagem feita pela presidente da entidade, Helenir Aguiar Schürer. Ao ressaltar a importância da luta pelo respeito aos direitos da categoria, conclamou para que todos participem da Assembleia Geral e Popular, que ocorre dia 12 de abril, às 13h30, na Casa do Gaúcho, em Porto Alegre.

 

Palmeira das Missões

Palmeira das Missões

Santa Rosa

Santa Rosa

São Borja

São Borja

 

 

 

Notícias relacionadas