Plenária mobiliza comunidades escolares em Rosário do Sul para a greve


Informar a base, debater a importância da resistência, mobilizar e construir a greve.

A direção central do CPERS segue na estrada, percorrendo o estado em intensa agenda de diálogo voltada às comunidades escolares no interior do Rio Grande do Sul, detalhando os ataques presentes no pacote de medidas de Eduardo Leite.

Na manhã desta quarta-feira (30), educadores(as) de diversas escolas de Rosário do Sul debateram as propostas na EEEM Placido de Castro.

“Em 30 anos de magistério, jamais vi um projeto tão violento. Querem que os menores salários paguem a conta de uma eterna crise fiscal. Mas nós já pagamos essa conta há anos, sem qualquer sinal de melhora na situação do Estado”, argumenta a presidente.

As medidas incluem o congelamento dos salários de toda a categoria por anos a fio, o extermínio de direitos históricos como as vantagens temporais, ataques à organização sindical e taxação de aposentados(as) que recebem um centavo acima do salário mínimo, sem prever qualquer compensação.

“Somente uma mobilização massiva, unificada e consciente dos educadores pode forçar Eduardo Leite a recuar. Essa categoria tem força e uma história rica em lutas vitoriosas. O governador passará, mas nossos direitos ficarão”, convoca.

As plenárias, realizadas em todo o estado pela direção central, são fundamentais para preparar a categoria para a greve, a ser deflagrada 72 horas após o protocolo dos projetos na Assembleia Legislativa. O envio aos deputados é esperado para os próximos dias ou semanas.

Ainda nesta quarta, Helenir realiza plenária em Quaraí.

Quer receber notícias do CPERS via whatasapp? Clique aqui!

Leia mais:

– Série de vídeos detalha os ataques do pacote desumano de Eduardo Leite
– Como o pacote de Leite afeta funcionários de escola, professores e aposentados
– Eduardo Leite quer destruir a carreira e economizar às custas dos educadores
– Nota técnica da assessoria jurídica do CPERS 
– Eduardo Leite quer que os professores paguem o próprio piso
– Pressão nos vereadores: baixe o modelo de moção de repúdio aos projetos
– Direções escolares se mobilizam contra ataques de Eduardo Leite
– Assine a carta das educadoras aposentadas contra os projetos de Eduardo Leite

Notícias relacionadas