Mais de 100 mil atendimentos digitais foram realizados em 2021 pelo IPE Saúde


Serviço de saúde público e solidário de grande importância para a categoria, o IPE Saúde consolidou, em 2021, os meios digitais como novo canal de acesso aos usuários do Instituto.

Entre janeiro e dezembro, o total de atendimentos prestados nesta modalidade foi de 108.361. O segundo semestre do último ano também marcou a implantação do Programa Facilitadores, que contabilizou  2.723 atendimentos prestados por parcerias com diferentes municípios do Rio Grande do Sul, entre outubro e dezembro de 2021.

A ação oferece auxílio presencial a pessoas que têm dificuldades com questões digitais a realizar o encaminhamento de demandas junto à autarquia, em diferentes cidades gaúchas.

O atendimento presencial foi retomado somente no mês de setembro, em função da pandemia – e,  a contar deste período até o final do ano, foram atendidas 4.482 pessoas de forma presencial na sede, em Porto Alegre.

Já por telefone, foram realizados quase 40 mil atendimentos de junho a dezembro de 2021. Vale lembrar que, enquanto a chamada está sendo efetuada, o usuário(a) deve aguardar na linha para ser atendido.

Em função do aumento recente dos casos de infecção por covid-19, o atendimento presencial na capital se encontra temporariamente suspenso.

Em relação aos atendimentos oferecidos através do Programa Facilitadores do IPE Saúde, é preciso verificar diretamente com cada prefeitura sobre o funcionamento.

Os serviços do IPE Saúde seguem disponíveis e podem ser acessados pelo Atendimento Digital, clicando aqui. Informações sobre os diferentes canais de atendimento ao usuário IPE Saúde podem ser encontradas no site por este link ou na Cartilha do Segurado.

O CPERS segue pressionando para que o governo Eduardo Leite (PSDB) repasse, dentro do prazo correto, a contribuição previdenciária patronal e do segurado(a).

Os atrasos já alcançam R$ 911 milhões a hospitais e clínicas credenciadas que prestam serviço. Com a demora frequente dos repasses do Estado, o IPE Saúde “agoniza”. Falta de atendimento em hospitais e clínicas devido ao não repasse de verbas e fechamento de agências são exemplos.

É preciso resistir ao projeto de desmonte do IPE Saúde, iniciado no governo Sartori (MDB) e continuado por Eduardo Leite (PSDB). A luta em defesa do Instituto é essencial para garantir um serviço público de qualidade e de excelência para todos os seus beneficiários(as).

Informações: IPE Saúde

Leia também

>> Sucateamento: situação financeira do IPE Saúde é tema de Audiência Pública na Assembleia Legislativa

Notícias relacionadas