Em Conselho Geral, educadores(as) definem agenda de mobilizações da categoria


Reunidos na manhã desta sexta-feira (07), os(as) conselheiros(as) do CPERS deliberaram sobre as próximas mobilizações da categoria. Foi decidido, entre outras deliberações, mobilizar os(as) educadores(as) para a Greve Geral do dia 14, realizar o Encontro Estadual dos(as) Contratados(as) articulado com a audiência pública solicitada pelo CPERS e uma forte campanha para sensibilizar a sociedade quanto a justa reposição salarial de 28,78%.

Durante o Conselho, a presidente do Sindicato, Helenir Aguiar Schürer, reforçou que a entidade segue atenta aos casos de demissão dos(as) educadores(as) contratados(as) que estão em licença saúde. “Nossa orientação é a de que aqueles que estiverem sendo ameaçados de demissão ou que já foram demitidos, entrem em contato com o Sindicato para que possamos fazer a denúncia à Seduc”, orientou.

Após o Conselho, os(as) educadores(as) dirigiram-se ao Acampamento da Resistência – Em Defesa da Educação, na Praça da Matriz, para, junto com os(as) professores(as) e funcionários(as) de escola que lá estavam, entregar uma proposta de emenda à Lei de Diretrizes Orçamentárias – LDO proposta pelo Sindicato.  A emenda de autoria do CPERS indica fontes de financiamento para garantir a urgente reposição salarial de 28,78% aos(as) educadores(as).

 

Confira as mobilizações aprovadas:

1- Greve Geral, dia 14 de junho, contra a Reforma da Previdência, aos cortes na educação e ao desemprego. Articulação com as centras sindicais, sindicatos e movimentos sociais, populares e estudantis,  com a participação efetiva de cada Núcleo nas atividades de mobilização de sua região. Ampla utilização de mídias para o chamamento e confecção de lambe-lambe para a Região Metropolitana;

2- Encontro Estadual dos(as) Contratados(as) articulado com a audiência pública solicitada e protocolada nas Comissões de Educação, Desporto, Ciência e Tecnologia; Cidadania e Direitos Humanos; Segurança e Serviços Públicos;

3- Campanha de mídia na sociedade em defesa da aposentadoria, da educação pública e da reposição salarial: “Reposição Salarial pra Educadores: eu apoio a educação pública;

4- Moção de Apoio a Greve dos profissionais da educação que estão em greve e Moção de Repúdio ao governo Mauro Mendes (Mato Grosso) por cortar o ponto dos(as) trabalhadores(as) grevistas.

 

 

 

 

Notícias relacionadas