Educadores(as) de Manoel Viana participam de plenária do CPERS sobre os riscos da Reforma da Previdência


Professores(as), funcionários(as) de escola e estudantes do município de Manoel Viana participaram, nesta quinta-feira(25), da plenária realizada pelo CPERS sobre as consequências da Reforma da Previdência, a pauta salarial da categoria e a conjuntura política atual.

Dando início às atividades, o advogado Dejair Aires Eugênio, da assessoria jurídica do CPERS, representada pelo escritório Buchabqui e Pinheiro Machado, detalhou as principais mudanças propostas na Reforma da Previdência e os impactos para os(as) educadores(as).

A diretora do Departamento de Cultura do Sindicato, Alda Bastos Souza, fez uma avaliação sobre a conjuntura política, em âmbito estadual e federal, e ressaltou o descaso dos governos com a educação pública e os(as) educadores(as). “Nossas escolas estão cada vez mais precárias e sucateadas. Os professores sofrem com sucessivos parcelamentos e salários congelados. São tempos duros, que exigem de nós forte unidade e resistência”, observou.

Perdas salariais

A situação de miserabilidade da categoria devido aos contínuos parcelamentos de salários e do 13º, os mais de quatro anos sem reajuste salarial e reposição da inflação foram pontos de destaque na abordagem feita pela diretora do Departamento dos Aposentados do CPERS, Glaci Weber. Ela ressaltou a importância da luta pelo respeito aos direitos da categoria e a reunião com o governo, que ocorre na próxima segunda-feira (29). “Neste dia, teremos a abertura da mesa de negociação com o governo Leite, conquistada depois de muita pressão. Vamos exigir o que a nossa categoria aprovou na Assembleia Geral, salário em dia, reposição emergencial de 28,78% e a realização de concursos públicos para professores(as) e funcionários(as) de escola”, afirmou.

Notícias relacionadas