CPERS realizará Assembleia Geral e paralisação no dia 14 de novembro


Em Conselho Geral na tarde desta sexta-feira (8), os representantes dos 42 núcleos do CPERS aprovaram a convocação de Assembleia Geral dos educadores(as) para o dia 14 de novembro.

A Assembleia, que tem como pauta principal a deflagração e mobilização da greve, ocorrerá às 9h30 na Praça da Matriz.

“Nós chamamos esse conselho extraordinário para discutir a tática diante do atraso do governo no envio dos projetos. Temos uma posição muito clara. Não deixaremos este pacote passar e não aceitaremos continuar pagando a conta desta crise. Neste Sindicato, quem decide é a categoria. A base dirá se estamos prontos para a greve independente da data de protocolo dos projetos”, explica Helenir Aguiar Schürer, presidente do CPERS.

O dia 14 também será de paralisação total da categoria. Quem não conseguir ir a Porto Alegre deve cruzar os braços em protesto contra o atraso salarial recorde, o congelamento dos proventos que já soma cinco anos e as propostas de Eduardo Leite, que retiram direitos, aprofundam a miséria dos educadores(as) e confiscam dinheiro dos aposentados.

Clique aqui para confirmar presença no ato no Facebook.

A Assembleia precede o ato unificado da Frente de Servidores Públicos (FSP/RS), que tem concentração marcada para as 13h30, no Largo Glênio Peres.

Outra deliberação do Conselho Geral refere-se ao dia 13, o Dia D chamado pelo governo para discutir a Base Nacional Comum Curricular. O CPERS orienta desobediência às orientações de Leite e o uso do dia para debater os projetos do governo nas escolas.

Mais de 20 entidades do funcionalismo estadual, municipal e federal somarão forças na mobilização unificada do dia 14. Diversas categorias também confirmaram realização de assembleias durante a manhã. Confira a relação:

  • Sindicaixa, Sindsepe, Sintergs, Afagro: assembleia unitária, às 10h, no Salão da Igreja Pompéia
  • SINDJUS: assembleia Geral pela manhã
  • SINDISERF RS: assembleia pela manhã 
  • Sintrajufe:  assembleia, dia 11/11 às 19h, no salão do sindicato 

Propostas aprovadas:

  1. Realizar no dia 14/11 Assembleia Geral da categoria, às 10 horas, na Praça da Matriz;
  2. Dia 14/11 será dia de Paralisação Estadual;
  3. Participar no dia 14/11 do Ato Unificado da Frente dos Servidores, com concentração às 13h30 min no Largo Gênio Peres;
  4. O Dia D chamado pela Seduc para o dia 13/11 deve ser aproveitado para debater o Pacote de Leite e a mobilização da categoria.

 

Quer receber notícias do CPERS via whatasapp? Clique aqui!

Leia mais:

– Erros, inconsistências e omissões: governo infla dados para justificar reformas
– Ato unificado no dia 14 de novembro marcará luta contra desmonte do serviço público
– Série de vídeos detalha os ataques do pacote desumano de Eduardo Leite
– Como o pacote de Leite afeta funcionários de escola, professores e aposentados
– Eduardo Leite quer destruir a carreira e economizar às custas dos educadores
– Nota técnica da assessoria jurídica do CPERS 
– Eduardo Leite quer que os professores paguem o próprio piso
– Pressão nos vereadores: baixe o modelo de moção de repúdio aos projetos
– Direções escolares se mobilizam contra ataques de Eduardo Leite
– Assine a carta das educadoras aposentadas contra os projetos de Eduardo Leite

Notícias relacionadas