CPERS realiza ato em defesa de um IPE público e de qualidade


Na manhã de hoje, a Direção Central do CPERS e representantes dos Núcleos do Sindicato realizaram uma manifestação em frente a sede do IPE, em Porto Alegre. O objetivo foi o de chamar a atenção quanto ao atendimento precário que o órgão vem disponibilizando a categoria. Com faixas que pediam a manutenção do IPE público e de qualidade, centenas de educadores, apoiados por centrais sindicais como a CUT, manifestaram sua preocupação.
Atendendo à solicitação do CPERS, a direção do órgão recebeu os diretores do Sindicato para ouvir as reivindicações. Na ocasião, a presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer, destacou a gravidade da situação aos diretores de saúde, Antonio de Pádua, administrativo e financeiro, Eduardo Dias Lopes, e ao assessor da diretoria de saúde, Luiz Carlos Alvim. “Recebemos muitas queixas quanto aos atendimentos médicos. E, o que é pior, quanto a inexistência deles. Nossa categoria está sobrecarregada porque acaba exercendo a função de professor, psicólogo, assistente social, entre outras. São diversos os problemas de saúde. Por isso, é fundamental que tenham um serviço médico adequado, tanto em equipe quanto em estrutura”, observou.
Uma das questões cobradas pelo CPERS foi a falta de atendimento médico pelo IPE em diversas regiões do Estado. “A alegação é a de que os médicos estariam com seus salários atrasados”, informou Helenir. Segundo Pádua, os salários dos médicos nunca deixaram de ser pagos. “Nunca houve atraso de salários. O que existe é uma pressão para aumento das remunerações. Eles não podem deixar de atender. Se isso ocorrer, ainda mais sob essa falsa alegação, pedimos que nos informem”, afirmou.

“Vamos orientar a nossa categoria para que denunciem os médicos que estão negando-se a prestar atendimento”, garantiu Helenir.
Os diretores do IPE também foram questionados quanto a deficiência do atendimento nos postos. Eles afirmaram que a situação estará normalizada nos próximos dias.
Ao final da reunião, Helenir entregou, novamente, um documento no qual consta o levantamento realizado pelos Núcleos do CPERS com algumas questões importantes sobre o IPE, como: falta de atendimento, fechamento de postos de atendimento, negligência de atendimento por parte profissionais médicos, cobrança indevida, falta de peritos e outros assuntos relacionados ao Instituto de Previdência do Estado do Rio Grande do Sul. O mesmo documento já havia sido entregue a direção do Instituto em outubro de 2014. “Aguardamos para o mais breve possível o retorno dessas questões”, salientou a presidente do Sindicato.

Notícias relacionadas