CPERS protocola pedido de audiência pública sobre a situação dos educadores contratados


Durante o terceiro dia do Acampamento da Resistência Em Defesa da Educação, representantes da Direção Central do CPERS protocolaram um requerimento na Assembleia Legislativa solicitando a realização de audiência pública sobre o descaso do governo com os(as) educadores(as) contratados(as). O pedido foi protocolado nas comissões de Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia, de Cidadania e Direitos Humanos e de Segurança e Serviços Públicos.

O objetivo é levar para a Assembleia o debate sobre situações de desrespeito, como a demissão dos(as) professores(as) e funcionários(as) de escola que estão em licença saúde e a precarização dos contratos fechados, de março a dezembro, que submetem os(as) educadores(as) ao desemprego e a insegurança.

“Na verdade, eles estão no limbo jurídico. São profissionais que não se enquadram nem no regime de trabalho da CLT nem como servidores concursados. Então, a relação trabalhista é muito precarizada. São cerca de 16 mil colegas que se encontram desamparados. Muitos estão sendo demitidos em meio ao tratamento de doenças muito graves, como o câncer, conforme denunciamos. Temos o dever de ampará-los”, observou a vice-presidente do CPERS, Solange Carvalho.

Foto: Caco Argemi / CPERS – Sindicato

A secretária-geral do Sindicato, Candida Rossetto, destacou que durante as visitas às escolas de diversas regiões do Estado, o Sindicato tem constatado a sobrecarga de trabalho, principalmente dos(as) contratados(as).  “Um professor nos relatou que trabalha em quatro escolas localizadas em três municípios. Isso é uma forma de escravidão. A nossa luta é por encaminhamentos que atendam às necessidades básicas e a dignidade dos educadores contratados e a melhoria da qualidade de ensino”, observou.

A deputada Sofia Cavedon, presidente da Comissão de Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia considerou um ato de extrema irresponsabilidade do governo a demissão dos(as) professores(as) e funcionários(as) de escola contratados em licença saúde. Tanto ela quanto os representantes das outras comissões que receberam o requerimento do CPERS comprometeram-se em dar andamento à questão e marcar a audiência para o mais breve possível.

 

 

 

 

Notícias relacionadas