CPERS intensifica plenárias pelo Estado para fortalecer a resistência contra o pacote do governo


Com o intuito de alertar a categoria e a comunidade escolar sobre os impactos do pacote desumano do governo Eduardo Leite aos direitos dos educadores e a educação pública, a direção central do CPERS tem intensificado as plenárias pelo Estado. Nesta quarta-feira (6), dirigentes do sindicato estiveram em escolas da capital, de Triunfo e de Estrela.

Nas conversas com a base da categoria e a comunidade escolar foram expostos os efeitos nefastos das medidas que integram o pacote do Executivo, que visa alterar o Plano de Carreira, a Previdência e o Estatuto dos Servidores (Lei 10.098).

Fim do plano de carreira, reajuste zero por tempo indeterminado, fim dos triênios, quinquênios, avanços e da incorporação das gratificações para a aposentadoria, difícil acesso apenas para as escolas do campo, aumento do tempo de contribuição para a aposentadoria e taxação dos aposentados que recebem um centavo a cima do salário mínimo, que poderão pagar alíquotas de até 16,32%, foram alguns dos efeitos citados caso o pacote seja aprovado.

Além das plenárias, o CPERS também tem feito pressão aos vereadores pedindo que assinem as moções de apoio aos educadores(as) e de repúdio aos projetos de destruição das carreiras e da Previdência de professores(as) e funcionários(as) de escola. Ontem, o documento foi entregue à Câmara de Vereadores de Triunfo.

Assim como o CPERS, demais categorias do funcionalismo público gaúcho vêm mobilizando suas bases e alertando a população sobre os ataques do governo. No próximo dia 14, às 13h30, no Largo Glênio Peres, haverá um grande ato unificado dos servidores para exigir o pagamento dos salários em dia e de forma integral, reajuste já e nem um direito a menos.

Quer receber notícias do CPERS via whatasapp? Clique aqui!

Leia mais:

– Erros, inconsistências e omissões: governo infla dados para justificar reformas
– Ato unificado no dia 14 de novembro marcará luta contra desmonte do serviço público
– Série de vídeos detalha os ataques do pacote desumano de Eduardo Leite
– Como o pacote de Leite afeta funcionários de escola, professores e aposentados
– Eduardo Leite quer destruir a carreira e economizar às custas dos educadores
– Nota técnica da assessoria jurídica do CPERS 
– Eduardo Leite quer que os professores paguem o próprio piso
– Pressão nos vereadores: baixe o modelo de moção de repúdio aos projetos
– Direções escolares se mobilizam contra ataques de Eduardo Leite
– Assine a carta das educadoras aposentadas contra os projetos de Eduardo Leite

Notícias relacionadas