Em videoconferência, aposentadas(os) de Soledade debatem sobre direitos e os riscos da pandemia


Nesta quarta-feira (29) ocorreu a reunião virtual dos aposentados do 28º núcleo (Soledade). Mais de 40 participantes reuniram-se para debater sobre a alteração no Plano de Carreira do Magistério, os descontos da Previdência, os riscos da pandemia e as lutas da categoria.

O encontro é organizado pelo Departamento de Aposentados do CPERS e contemplará os 42 núcleos do Sindicato.

A coordenadora do departamento, Glaci Weber falou da satisfação de realizar a atividade, além de parabenizar a todos presentes pela disposição em participar.

“Nosso encontro é uma reunião que fazíamos fisicamente, mas agora achamos essa forma de nos encontrarmos virtualmente. Quero parabenizar a todas e todos, pois conseguiram vencer essa barreira que para nós é difícil, em lidar com o digital. Estão todos de parabéns.”

A diretora do 28º núcleo, Magale Eicheler da Rocha, expôs a alegria de estar conversando com os colegas, mesmo que virtualmente.

“É um prazer estarmos fazendo essa reunião online. Estamos muito contentes de tê-los aqui conosco. É uma alegria estarmos juntos para matar a saudade, pois nesse tempo de pandemia não podemos sair de casa. Nossas aposentadas estavam acostumadas a estar sempre na luta e estão com saudades dos nossos encontros, mas esse é o momento de nos cuidarmos. Que tenhamos uma tarde alegre e bem esclarecedora”, desejou.

“Mesmo em isolamento ficamos sabendo de notícias ruins. Duas colegas de Gravataí estão com Coronavírus e uma até está em estado grave. Isso nos mostra o quanto é importante nos cuidarmos e mantermos o isolamento social.  Fico muito feliz por ver todos, aqui, hoje, bem”, afirmou a coordenadora do Departamento de Cultura do Sindicato, Alda Souza Bastos.

A representante estadual dos aposentados, Dina Marilu Machado Almeida, agradeceu a diretora Glaci pela iniciativa, ressaltando a importância da videoconferência.

“Glaci quero te agradecer a possibilidade que está nos dando de nos encontrarmos virtualmente. Ficamos meios tristes com essa pandemia e com o isolamento. Essas reuniões aquecem nossos corações. Que tenhamos o privilégio de passar por essa pandemia para continuar lutando por nossos direitos”, ressaltou.

Pandemia e a importância do isolamento social

A doutora Karin Taborda, médica da prefeitura de Porto Alegre, falou sobre os riscos da pandemia, apresentando sua visão sobre esse momento tão delicado por qual todos estão passando.

“É um prazer participar dessa reunião do CPERS, que é um sindicato de lutas históricas. Minha mãe foi professora a vida toda e conheço bem a luta da categoria”, destacou.

 A médica frisou que desde 1990 já ocorreram várias pandemias, mas nenhuma com a amplitude da Covid-19, que tem gerado muita desigualdade e colocado toda comunidade em risco.

Para Karin até que se consiga uma vacina será difícil controlar qualquer doença provocada por vírus.

Ela chama a atenção para o fato preocupante de que uma pessoa infectada pode contaminar em média de 2 a 3 pessoas.

De acordo com Karin, o Sistema Único de Saúde (SUS) está sendo o grande protagonista nesse momento. “Hoje, o SUS mostra a que veio, se não o tivéssemos os índices de mortalidade seriam bem maiores”, observou.

Segundo a especilista, em um percentual de 10% de pessoas  infectadas,  3% ficam mal e precisam de leitos de UTI.  “E esse é um número bem preocupante. Por isso é tão importante o isolamento social”, afirmou.

A médica esclareceu ainda que seria essencial o Brasil investir em testes para tentar controla a propagação do vírus. “Sem os testes não conseguimos avaliar, só avaliamos quem chega até os hospitais. Nós estamos correndo o risco de ficarmos eternamente no pico do Covid-19, pois, a cada semana chegam novos casos”, observou.

“Estamos em um total caos. Estamos sem ministro da saúde, temos um presidente e um governador que são negacionistas. O que nos resta é o isolamento social”, finalizou Karin.

Poesia e dança

O momento cultural ficou por conta das aposentadas Maria Leda Loes e Rosa Quevedo Giovanoni que recitaram poesias, emocionando e agraciando a todos os participantes.

“Que coloquemos no papel, todas nossas perspectivas, angustias e felicidades. Todos nós somos poetas”, sugeriu Maria Leda Loes.

Na ocasião foi apresentado o vídeo de dança das Sempre Ativas, trazendo os melhores momentos dos ensaios do Desafio de Dança realizado o ano passado para o Encontro Estadual dos Aposentados.

Também participaram do encontro, como convidadas, as integrantes do Grupo de Aposentadas Sempre Ativas, Celina Stefani e Goretti Grossi.

Luta e informações jurídicas

A presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer, falou sobre a importância de manter-se informado, acompanhar e fiscalizar a política. “Quem fiscaliza e acompanha a política não se deixar enganar. O Leite não é pior que o Sartori, eles têm a mesma política. A diferença é que o governador atual já está no sexto ano do mesmo projeto de Sartori”, destacou.

“Temos uma grande tarefa, a de começar a nos apropriar da política. Fiscalizando quem vota com o governo e quem vota conosco”, frisou Helenir.

“Hoje, estava na pauta do Congresso Nacional, a alteração na lei do Piso do Magistério. Então, os ataques estão vindo de todos os lados, federal e estadual”, observou.

A presidente também ressaltou a importância da categoria fazer pressão virtualmente em cima dos parlamentares. “Continuamos na luta. No Fundeb vimos que essa pressão virtual dá efeito. Então, vamos continuar firmes e fortes na pressão aos deputados e senadores em defesa dos nossos direitos”, concluiu.

A secretária-geral do CPERS, Candida Beatriz Rossetto, destacou que mesmo em tempo de pandemia e isolamento social a luta tem que continuar e ser a mais acirrada possível.

“Os governos federal e estadual nos atacam, eles podem ser diferentes na face, mas a política é a mesma”, afirmou.

Candida também falou sobre o desconto da Previdência, que os aposentados estão tendo desde março.

“Eu não sei vocês, mas cada vez que recebo meu salário eu fico com muita raiva do governo. Ele está saqueando um dinheiro já minguado que temos, depois de tanto trabalho e luta. Por isso, temos que aglutinar forças para derrotar esses governos”, ponderou.

“Nós perdemos, mas se não fosse a nossa luta teríamos perdido muito mais. Por isso a importância de estarmos em todas as frentes, fazendo a luta. É fundamental  sairmos desse encontro fortes e contagiando outros colegas para a luta”, finalizou Candida.

Representando a assessoria jurídica do CPERS, o advogado Douglas Ambrosi destacou os principais assuntos jurídicos da categoria, além de responder a todos questionamentos das professoras e funcionárias de escola aposentadas.

“Quem ganhava até 6 mil reais não tinha esse desconto, quem ganhava mais pagava 14%. Com o projeto aprovado na Assembleia Legislativa, em dezembro, o Rio Grande do Sul implementou o desconto para quem recebe mais que um salário mínimo com alíquotas progressivas”, resumiu sobre os descontos da Previdência.

“Estamos com  Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIn) ajuizada no Supremo Tribunal Federal (STF),  se ganharmos, esses valores que foram descontados vão voltar para os aposentados”, destacou Ambrosi.

Outro ponto ressaltado pelo advogado foi a atenção que os aposentados devem ter em olhar o contracheque para ver se o governo não está descontando mais do que deveria. “Muitos contracheques estão com alguns equívocos. Caso vocês notem que tem algo diferente no contracheque, enviem para a direção do seu núcleo, que estaremos analisando e respondendo o mais breve possível”, finalizou.

A 1ª vice-presidente do CPERS,  Solange Carvalho, o 2º vice-presidente do sindicato, Edson Garcia e as diretoras Sônia Solange Vianna  e Vera Lessês  também estiveram presentes na reunião.

Notícias relacionadas