4ª Mostra Pedagógica Estadual: o fazer pedagógico da escola pública às portas do Piratini


A Praça da Matriz foi palco, nesta sexta-feira (29), da etapa estadual da 4ª Mostra Pedagógica do CPERS – Educar é uma Aventura Criadora. No local, centenas de estudantes e educadores de diversas regiões do Estado expuseram, ao longo do dia, os projetos desenvolvidos durante o decorrer do ano letivo.

As etapas regionais da Mostra, que este ano homenageou o educador Paulo Freire, ocorreram no período de 10 de setembro a 12 de novembro. Dos 307 projetos que participaram da iniciativa, 110 foram selecionados para a etapa estadual.

Ao realizar a abertura do evento, a diretora do Departamento de Educação do Sindicato, responsável pela organização da Mostra, Rosane Zan, ressaltou que este ano a iniciativa tem o objetivo de divulgar para a sociedade as práticas exitosas da rede pública estadual, mesmo diante do descaso do governo. “Este é um espaço para denunciarmos os ataques do governo Eduardo Leite contra os nossos direitos, historicamente conquistados. O fazer pedagógico mostra as práticas inovadoras no chão da escola pública, portanto não medimos esforços para manter a Mostra, mesmo com a categoria em greve. E tinha que ser neste espaço, pois é o símbolo da nossa resistência em defesa dos nossos direitos e da escola pública”, observou.

Após a abertura oficial, estudantes da escola Sylvio Dal Moro, da cidade de Cacique Doble, apresentaram o teatro Direitos do Cidadão, uma adaptação da peça “Ó Xente! E os Direitos da Gente

Logo após, alunos do nono ano da escola Centenário, do 31º núcleo (Ijuí), apresentaram a peça teatral A literatura e a música: Os anos que seguiram 64.

Um misto de alegria e nervosismo. Foi assim que as amigas Esther Carneiro e Gabriele de Abreu Ribeiro, ambas de 12 anos e estudantes da escola Professor José Fernandes de Oliveira, descreveram o sentimento de estarem participando, pela primeira vez, da iniciativa. Elas desenvolveram, junto com os colegas de turma, o projeto “Minha Cidade Sustentável”. “É muito legal participar, mas dá um pouco de nervosismo. É uma oportunidade para vermos como a Mostra funciona e conhecer os outros trabalhos, além de ser uma alegria estar representando a nossa escola e a nossa cidade. Ano que vem queremos vir novamente”, afirmaram.

“Nós não esperávamos que o nosso projeto pudesse tomar a proporção que está tendo. Nossos professores viram que podíamos ir mais além e nos incentivaram. Desde então, já apresentamos nosso trabalho em diversos espaços e hoje estamos aqui, lisonjeados, participando da Mostra Estadual”, relataram os estudantes do segundo ano do ensino médio, Guilherme Silvestre e Marina Pereira, que trouxeram para o evento, junto com seus colegas, o projeto “Eu Posso Fazer Mais”.

Com um lenço em volta do cabelo e com as feições que lembram a menina Malala Yousafzai, vencedora do Prêmio Nobel da Paz, em 2014, a estudante Emili Barbosa, acompanhada da colega Tainá Rodrigues Gomes, alunas da EEEM Cyrino Luiz de Azevedo, de Santana do Livramento, explicava o objetivo do trabalho desenvolvido. “O projeto Malala destaca o papel da mulher na sociedade e a importância da escola na formação do cidadão. Ela foi uma guerreira que lutou e luta pelo direito à educação de meninas e adolescentes de seu país,”, detalhava.

Atenta à apresentação, a professora Niceli Fragozo, que acompanhava as meninas e mais três grupos de alunos da escola que estavam expondo seus trabalhos, destacou a importância da Mostra. “Estamos vivendo tempos muito difíceis, de muito impacto em nossas vidas. Este evento é uma ótima oportunidade para darmos visibilidade ao que fazemos em nossas escolas. Além disso, os estudantes, ao participarem, melhoram muito o desempenho nos estudos e também tem um significativo crescimento pessoal”, relatou.

Ao fim do dia, foi realizada a premiação dos trabalhos selecionados pelos avaliadores. Na ocasião, o 2º vice-presidente Edson Garcia, parabenizou os presentes que seguem acreditando na escola pública apesar de todos as intempéries.

“Eu quero parabenizar todos os alunos, professores e funcionários presentes aqui hoje. A gente sabe que não é fácil desenvolver projetos em um cenário sem estimulo, sem incentivo. As vezes parece que nosso discurso está reduzido a problemas, porque problemas nós temos muitos, mas esse dia marca o que de mais importante resulta do nosso esforço, mostrar a qualidade do que é produzido no chão da escola pública gaúcha”, enfatizou Edson.

Após avaliação criteriosa de cada projeto, a Comissão Julgadora considerou vencedores os seguintes projetos:

ANOS INICIAIS – ENSINO FUNDAMENTAL

1° Lugar

Nome do projeto: Aproveitar E Produzir Alimentos De Forma Sustentável

Nome da escola: Colégio Estadual Monsenhor Assis de Santiago

Cidade/Núcleo: Santiago (29º Núcleo)

2° Lugar

Nome do projeto: Contando que se Aprende

Escola: Escola Neuza Goulart Brizola

Cidade/Núcleo: Cachoeirinha (22° Núcleo)

ANOS FINAIS – ENSINO FUNDAMENTAL

1° Lugar

Nome do projeto: A Literatura e a Tecnologia aliadas ao estudo da Segunda Guerra Mundial

Escola: Escola Estadual de Ensino Fundamental Chico Mendes

Cidade/Núcleo: Ijuí (31° Núcleo)

2° Lugar

Nome do projeto: Semeando Agrofloresta: Colhendo a Construção Coletiva do Conhecimento

Escola: Escola Estadual de Ensino Fundamental Chico Mendes

Cidade/Núcleo: Hulha Negra (17° Núcleo)

ENSINO MÉDIO

1° Lugar

Nome do projeto: Facção Carinhosa: Preciso de um abraço para liberar os hormônios da felicidade! Xô depressão!

Escola: Escola Estadual Ensino Médio Dr. Augusto Duprat

Cidade/Núcleo: Rio Grande (6º Núcleo)

2° Lugar

Nome do projeto: Flor de Cactos

Escola: EEEM Jardim América

Cidade/Núcleo: Capão do Leão (24° Núcleo)

EJA

1° Lugar

Nome do projeto: A Arte como Transformação Social

Escola: Escola Técnica Estadual Bernardina Rodrigues Padilha

Cidade/Núcleo: Vacaria (30° Núcleo)

2° Lugar

Nome do projeto: Pesquisa na Educação de Jovens E Adultos

Escola: Escola Estadual de Ensino Médio Ruy Barbosa

Cidade/Núcleo: Ijuí (31° Núcleo)

EDUCAÇÃO INDÍGENA

1° Lugar

Nome do projeto: O Kuaray a nos energizar e iluminar

Escola: Escola Indígena de Ensino Fundamental Pekuruty

Cidade/Núcleo: Eldorado do Sul (34° Núcleo)

2° Lugar

Nome do projeto: Tain Porã (Dentes Saudáveis)

Escola: E.E.I.E.F Nhamandu Nhemopu’ã

Cidade/Núcleo: Viamão (22° Núcleo)

EDUCAÇÃO PROFISSIONALIZANTE

1° Lugar

Nome do projeto: Projeto Sustentabilidade

Escola: E. E. E. M. Frei Plácido

Cidade/Núcleo: Bagé (17° Núcleo)

2° Lugar

Nome do projeto: “Castelo Encantado”

Escola: Colégio Estadual Presidente Castelo Branco

Cidade/Núcleo: Lajeado (8º Núcleo)

Notícias relacionadas