RRF: com aval do Ministério da Economia, RS está a uma assinatura de um possível colapso


O Rio Grande do Sul está a uma assinatura de Bolsonaro (PL) para concluir a adesão ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF).

Com a aprovação, quem sofre são os gaúchos e gaúchas, que ficarão nove anos sem investimentos em educação, segurança, saúde, assistência e todas as demais áreas de atuação do poder público, condenando o RS ao subdesenvolvimento até 2031.

O RRF também inviabiliza a realização de concurso público e de contratação de pessoal, o que implicará, a longo prazo, na impossibilidade de atender a demanda da população de maneira correta, além da sobrecarga de trabalho dos servidores(as).

Esses mesmos servidores(as) sobrecarregados não terão reajuste salarial e nem melhoria nas suas respectivas carreiras, o que pode levar ao aumento da saída de trabalhadores(as) e um colapso dos sistemas de serviço público.

No último dia 17 de maio, deputados(as) da base do governo aprovaram o PLC 48/22, abrindo caminho para a adesão ao RRF e colocando em risco o futuro do estado.

Guarde os nomes dos deputados(as) que votaram a favor do projeto e contra o povo gaúcho.

Notícias relacionadas