Difícil Acesso: apenas quatro escolas receberão o valor máximo em todo o estado


A publicação no Diário Oficial dos novos enquadramentos das escolas estaduais no adicional de local de exercício revela um panorama devastador para milhares de educadores(as).

Com os novos critérios, apenas quatro escolas de toda a rede terão direito ao valor máximo do benefício, de R$ 1260.

De acordo com diagnóstico do TCE, datado de 2015, 279 (10,8%) escolas atingiam o grau máximo do Difícil Acesso. Agora, a proporção é de 0,17%, considerando o turno da tarde.

No turno da manhã, serão apenas três escolas (0,13%). A redução equivale a 99%.

O achatamento é brutal em todos os níveis.

Antes, 28,3% das escolas com algum enquadramento recebiam R$ 256, o menor valor possível até a nova legislação. Agora, mais de metade das escolas enquadradas (53,9%) receberá R$ 256 ou menos.

Ainda considerando as escolas com algum enquadramento, 20% receberão o menor valor, de R$ 63.

▶ Saiba como receber notícias do CPERS por whatsapp

O CPERS considera a mudança em meio à pandemia, sem qualquer diálogo e da noite para o dia, uma manobra desumana e traiçoeira.

Trata-se de mais uma estratégia para fazer caixa nos ombros de quem tem menos.

Além dos salários atrasados há 52 meses e congelados há quase seis anos, a categoria já acumula três meses de contracheques com descontos da greve.

O Sindicato ainda estuda alternativas legais para barrar o retrocesso e exige a revogação dos novos enquadramentos, respeito à representação sindical e a revisão dos critérios com a participação da categoria.

Abaixo, proporções calculadas com base no total de escolas (enquadradas e não enquadradas)‬.

Escolas com direito a 60% (R$ 756) ou mais
2015: 31,8%
Agora: 4,06%

Escolas com direito a 80% (R$ 1008) ou mais
2015: 18%
Agora: 1,09%

Escolas com direito a 20% (R$ 252) ou mais
2015: 61,30%
Agora: 36,59%

Na última sexta, o CPERS detalhou o ataque em coletiva de imprensa transmitida ao vivo. Assista a íntegra abaixo.

Notícias relacionadas