CPERS lança Comitê Estadual da Educação Pública em defesa do Estado Democrático de Direito


frente

Nesta segunda-feira, dia 28, às 18h, no 9º andar da sede do CPERS, foi realizada a plenária da Frente Brasil Popular – FBP, a qual integra 66 entidades, entre elas o CPERS, conforme aprovado em Conselho Geral da categoria. Participaram da reunião representantes da CNBB, CNTE, CUT, CTB, MST, JPB- Guerrilheiras, Bloco da Diversidade, Fórum 21, Levante Popular da Juventude, CMP, Unilasalle – Canoas, Federação Metalúrgicos, MPA, PCdoB, PT/RS, Marcha Mundial das Mulheres, MNLN, Fegam e MAB/RS.
Na abertura da reunião a presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer, deu às boas-vindas aos presentes e lançou oficialmente o Comitê Estadual da Educação Pública em defesa do Estado Democrático de Direito. “Lançamos hoje o Comitê Estadual da Educação Pública em defesa do Estado Democrático de Direito, que irá defender a democracia e os direitos dos trabalhadores. Este é um dever de todos os educadores” afirmou.
O Comitê Estadual da Educação Pública em defesa do Estado Democrático de Direito tem como objetivo a defesa da democracia, do respeito à Constituição e a legislação, que constituem os direitos dos trabalhadores.
O CPERS, desde de já, convida os Núcleos a organizarem os Comitês em suas regiões.
Durante a reunião, os representantes das entidades analisaram o cenário político brasileiro e organizaram o ato do próximo dia 31 – Dia Nacional de Mobilização, além de estabelecer as próximas agendas de mobilizações.

Todos juntos pela Democracia, 31 de março – Dia Nacional de Mobilização
O CPERS convida a todos os educadores a participarem na próxima quinta-feira, dia 31, do Dia Nacional de Mobilização. O ato é organizado pela Frente Brasil Popular e Povo Sem Medo. Em Porto Alegre, a concentração começará às 17h na Esquina Democrática. A partir das 18h será realizado o ato e logo após uma caminhada que seguirá rumo ao Largo Zumbi dos Palmares. Também ocorrerão manifestações regionais em várias cidades no interior do Estado.
As atividades irão acontecer em todo o Brasil, em defesa da democracia, dos direitos sociais, contra o ajuste fiscal e a reforma da Previdência.
“O CPERS, ao longo dos seus 70 anos de história, sempre lutou pela democracia e essa é hora de sairmos a ruas e reivindicarmos por um Brasil mais democrático, mais justo e digno para todos”, destacou Helenir.
Os trabalhadores ganharão às ruas em todo o país. Em Brasília, a concentração será no Estádio Mané Garrincha, às 14h, depois haverá Marcha até o Congresso Nacional.

Conheça os objetivos da Frente Brasil Popular:
1.Defender os direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras: melhorias das condições de vida, emprego, salário, aposentadoria, moradia, saúde, educação, terra e transporte público! Lutamos contra o atual ajuste fiscal e contra todas as medidas que retiram direitos, eliminam empregos, reduzem salários, elevam tarifas de serviços públicos, estimulam a terceirização, ao tempo em que protegem a minoria rica. Defendemos uma política econômica voltada para o desenvolvimento com distribuição de renda. Lutamos contra a especulação financeira nacional e internacional, que transfere para uma minoria, por vias legais ou ilegais, através da corrupção e de contas bancárias secretas, parte importante da riqueza produzida pelo povo brasileiro! Lutamos por uma reforma tributária que — por meio de medidas como o imposto sobre grandes fortunas e a auditoria da dívida — faça os ricos pagarem a conta da crise.
2. Ampliar a democracia e a participação popular nas decisões sobre o presente e o futuro de nosso país. Lutamos contra o golpismo — parlamentar, judiciário ou midiático — que ameaça a vontade expressa pelo povo nas urnas, as liberdades democráticas e o caráter laico do Estado! Lutamos por uma reforma politica soberana e popular, que fortaleça a participação direta do povo nas decisões políticas do País, garanta a devida representação dos trabalhadores, negros e mulheres, impeça o sequestro da democracia pelo dinheiro e proíba o financiamento empresarial das campanhas eleitorais!  Lutamos contra a criminalização dos movimentos sociais e da política, contra a corrupção e a partidarização da justiça, contra a redução da maioridade penal e o extermínio da juventude pobre e negra das periferias, contra o machismo e a homofobia, contra o racismo e a violência que mata indígenas e quilombolas!
3. Promover reformas estruturais, para construir um projeto nacional de desenvolvimento democrático e popular: reforma do Estado, reforma política, reforma do poder judiciário, reforma na segurança pública com desmilitarização das Polícias Militares, democratização dos meios de comunicação e da cultura, reforma urbana, reforma agrária, consolidação e universalização do Sistema Único de Saúde, reforma educacional e reforma tributária! Lutamos pela democratização dos meios de comunicação de massa e pelo fortalecimento das mídias populares, para que o povo tenha acesso a uma informação plural, tal como está exposto na Lei da Mídia Democrática.
4. Defender a soberania nacional. O povo é o dono das riquezas naturais, que não podem ser entregues às transnacionais e seus sócios! Lutamos em defesa da soberania energética, a começar pelo Pré-Sal, a Lei da Partilha, a Petrobrás, o desenvolvimento de ciência e tecnologia, engenharia e de uma política de industrialização nacional! Lutamos pela soberania alimentar e em defesa do meio ambiente, sem o qual não haverá futuro. Lutamos contra as forças do capital internacional, que tentam impedir e reverter a integração latino-americana. Convidamos a todas e a todos que se identificam com esta plataforma a somar-se na construção da Frente Brasil Popular.  O povo brasileiro sabe que é fácil sonhar todas as noites. Difícil é lutar por um sonho. Mas sabe, também, que sonho que se sonha junto pode se tornar realidade.

Notícias relacionadas