Conselho Geral do CPERS define propostas de mobilização da categoria


IMG_5861

Nesta sexta-feira, dia 27, o CPERS realizou seu Conselho Geral para definir as propostas de mobilização da categoria. Ao dar início ao Conselho, a presidente da entidade, Helenir Aguiar Schürer, destacou que os educadores devem ficar em estado de alerta, pois a qualquer momento o governo pode colocar em votação projetos que colocam em risco os direitos dos educadores e todos os trabalhadores gaúchos, prejudicando assim os serviços oferecidos à população.
Segundo Helenir, no dia 11 de dezembro, quando ocorrerá a Marcha dos Sem – Dia Estadual de Mobilização e Luta contra os Ajustes Fiscais Estadual e Federal, e nos dias 28 e 29, quando o governo deve colocar em votação o PLC 206/2015, o Sindicato fará fortes mobilizações contra o governo. “Vamos mostrar nossa indignação e denunciar as afrontas desse governo. Não podemos nos calar diante das declarações sobre o nosso 13º salário. É dever do Estado nos pagar este direito até o dia 20. Não temos que pegar empréstimo e ainda arcar com os juros, como o secretário da Fazenda, Giovani Feltes, vem afirmando. Além disso, precisamos estar unidos também para barrar o PLC 206, que é uma verdadeira afronta aos direitos de todos os trabalhadores”, observou.
Na ocasião, foram eleitos, através de votação dos conselheiros, os representantes do CPERS no Conselho Deliberativo do IPE. São eles: Vera Lessês e Mara Cleu, Antonio Andreazza e Eni Ferreira

Educadores terão Centro de Lazer do CPERS no litoral
Em meio a tantas lutas e mobilizações pela valorização dos educadores, pela qualidade da educação pública e para garantir direitos históricos, os professores e funcionários de escola receberam uma boa notícia: a doação de um terreno, em Capão da Canoa, para a construção de um Centro de Lazer.  “Esse é um sonho nosso, desde que assumimos a direção do Sindicato. Os educadores precisam ter momentos de descanso e lazer, não são máquinas. Isso é valorização, auto-estima”, observou Helenir.
O projeto da construção do Centro de Lazer será debatido junto à base da categoria. As obras do local têm prazo de dois anos para iniciar.

Propostas de mobilização aprovadas:
1- Paralisar, conforme deliberação de Assembleia Geral, em caso de parcelamento de salário;
2- Participar, no dia 11 de dezembro, da Marcha dos Sem – Dia Estadual de Mobilização e Luta contra os Ajustes Fiscais Estadual e Federal, intensificando a denúncia sobre o fechamento de escolas, turmas e turnos e a unificação das instituições. Denunciar a falta de repasses às escolas e ao transporte escolar;
3- Realizar mobilização na Assembleia Legislativa, em Porto Alegre, nos dias 28 e 29 de dezembro, contra o PLC 206/2015 – Responsabilidade Fiscal;
4- Participar e ajudar a organizar, em conjunto com o Movimento Unificados dos Servidores Públicos Estaduais, os atos nas cidades da base dos 25 deputados (as) que votaram contra os trabalhadores no PL 336– RPVs. Posteriormente, será construído, em conjunto, o calendário de atividades;
5- Trazer alimentos não perecíveis que serão entregues no dia 11 de dezembro aos rodoviários demitidos na greve;
6- Realizar Moção de Repúdio contra a falta de repasses às escolas, ao transporte escolar e ao fechamento de escolas, turmas e turnos no Rio Grande do Sul;
7- Realizar Moção de Repúdio a PEC 215/2015 – Ataque a demarcação de terras indígenas;
8- Realizar Moção de Repúdio a criação da polícia legislativa gaúcha e incluir a não aprovação desta lei em todas as visitas aos gabinetes dos deputados na Assembleia Legislativa;
9- Realizar Moção de Apoio a luta pela manutenção da jornada de 30 horas semanais para  os técnicos administrativos da UFRGS, organizado pela ASSUFRGS;
10- Verificar se os recursos do FUNDEB estão sendo aplicados no pagamento dos salários dos professores, conforme é estabelecido, e se estão sendo repassados de forma parcelada também ao Estado;
11- Realizar Moção de Repúdio a declaração do governador José Ivo Sartori sobre a estabilidade dos servidores públicos;
12- Realizar mobilização para o cumprimento da Lei do Piso no início do ano de 2016;
13- Realizar Moção de Apoio as ocupações dos estudantes em São Paulo.

Notícias relacionadas