Conselho Geral define propostas de mobilização em Santa Maria


12167643_864029537025920_1851605513_n

Nesta sexta-feira, dia 23, o Conselho Geral do CPERS reuniu-se para deliberar as pautas de mobilização da entidade, no salão de eventos do Colégio Marista, em Santa Maria.
Ao dar início ao Conselho, a presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer, destacou que a reunião do Conselho nos Núcleos é uma das propostas de campanha da Direção Central. “Parabenizo a direção de Santa Maria pela acolhida. E hoje cumprimos uma das nossas promessas de campanha, descentralizando as reuniões do Conselho. Essa é mais uma forma de proximidade da Direção Central com os colegas na base”, afirmou.
Na oportunidade, Helenir destacou a forte mobilização e pressão que vem sendo feitas junto aos deputados, na Assembleia Legislativa. “Por três vezes já retiramos o PL 336 da pauta de votação da Assembleia. O governo não tem conseguido quórum para aprovação do projeto. Esse é o início da nossa vitória”, destacou. Helenir ainda ressaltou que a categoria precisa continuar unida e mobilizada contra o PL 336, que visa reduzir os pagamentos de Requisições de Pequeno Valor (RPVs) de 40 para 7 salários-mínimos. “Convocamos, desde já, os educadores para estarem presentes na próxima terça-feira, dia 27, às 8h, em frente a Assembleia, para visitar os gabinetes e continuar a pressão exigindo o voto contrário dos deputados ao projeto”, concluiu.
Ela também ressaltou a importância de a categoria acompanhar e votar na Educação, nas audiências públicas da Lei Orçamentária Anual, que vêm sendo realizadas em várias regiões do Estado. “Em todas as cidades que foram realizadas as audiências deixamos a Educação como uma das três primeiras prioridades na Lei Orçamentária. Precisamos continuar com essa importante mobilização”, afirmou.
Após os informes dos conselheiros foi realizada a votação das propostas de mobilização, aprovadas por unanimidade.

Propostas das mobilizações aprovadas:

1- Participar da Frente Brasil Popular;

2- Participar da Marcha da CNTE, dia 11 de novembro de 2015, em Brasília;

3- Participar da Marcha da Mulheres Negras, dia 18 de novembro de 2015, em Brasília;

4- Reforçar as Caravanas em Defesa da Educação Pública, respeitando a liberdade do Núcleo em definir a forma e a data;

5- Criar o Coletivo de Igualdade Racial e Combate ao Racismo;

6- Intensificar a ação em conjunto com o Movimento Unificado dos Servidores Estaduais sobre os deputados de cada região do Estado contra os ataques aos serviços e servidores públicos, mantendo a pressão contrária sobre a Assembleia Legislativa em relação aos projetos em tramitação e, com alerta máximo em Porto Alegre, quando houver a votação do PL 206;

7- Manifestar o posicionamento contrário a extinção da Educação Infantil nas Escolas Estaduais;

8- Realizar manifestação por escola/núcleo, no dia 28 de outubro, instituindo como Dia de Denúncia ao Reajuste Zero do governo Sartori;

9- Realizar Moção de Repúdio ao governador José Ivo Sartori e ao presidente da Assembleia Legislativa, Edson Brum, em relação a agressão sofrida pelos educadores no dia 22 de setembro na Assembleia Legislativa;

10-  Marcar audiência com a direção do IPE exigindo o pleno atendimento.

 

Notícias relacionadas