#BOLSONAROMENTIROSO: relembre as 7 maiores mentiras já ditas por Bolsonaro


As fake news são o centro da estratégia daqueles que estão destruindo o Brasil!

Precisamos combatê-las! A verdade é o caminho da esperança e da reconstrução de nosso país.

Segundo levantamento feito pelo site de checagem “Aos Fatos”, em 1.170 dias na presidência, Bolsonaro deu 5.052 declarações falsas ou distorcidas. Ou seja, Bolsonaro espalha, em média, mais de 4 fake news por dia!

Como hoje é o DIA DA MENTIRA, vamos relembrar as 7 maiores já ditas por Bolsonaro:

#BOLSONARO MENTIROSO 

  1. BOLSONARO AFIRMOU QUE NÃO HÁ MAIS CORRUPÇÃO NO BRASIL

Bolsonaro adotou durante toda sua campanha e em todo seu governo uma postura  de falso moralismo perante a corrupção. Ele chegou a dizer por diversas vezes que “acabar com a roubalheira” no Brasil. Mas mentiu.

Mesmo antes de chegar à presidência, Bolsonaro já estava metido em diversos escândalos. Quando deputado, ele e seus filhos ganhavam dinheiro empregando funcionários fantasmas em seus gabinetes, que devolviam a eles parte dos salários. Como no famoso caso envolvendo Fabrício Queiroz, que fez movimentações suspeitas na ordem de R$ 1,2 milhão, incluindo cheques para a primeira dama, Michele Bolsonaro. . 

Já na presidência da república, diversos membros e ex-membros do governo Bolsonaro se tornaram alvos de investigações e denúncias por casos de corrupção e outros delitos ligados à administração pública. 

Na última semana, por exemplo, veio a público um novo escândalo no Ministério da Educação – mais um dos vários casos no governo Bolsonaro – pressionado pela opinião pública, o ministro Milton Ribeiro acabou forçado a entregar sua carta de demissão.

Estes escândalos custaram muito ao país, afetaram a educação, o orçamento das famílias e a vida de muitos brasileiros.  

Dentre todos os casos, talvez o pior deles, seja a maracutaia do governo Bolsonaro em relação às vacinas.

  1. BOLSONARO DISSE QUE A PANDEMIA  NÃO EXISTIA E A COVID-19 ERA SÓ UMA GRIPEZINHA

Bolsonaro relacionou a doença a uma “gripezinha” dizendo, inclusive, que o isolamento social seria “conversinha mole” e que as medidas de restrição de circulação seriam para “os fracos”.

O Brasil registra hoje mais de 660 mil mortos pela COVID-19, muitas mortes se deram em razão das fake news e da imperícia do governo.

Há aqui, inclusive, outro escândalo de corrupção a que o governo de Jair Bolsonaro esta relacionado. O Ministério da Saúde de seu governo é acusado de pedir propina a empresa vendedora de vacinas no valor US$ 1 por dose para que o contrato com o Ministério fosse fechado. 

Os corruptos do governo estavam tentando lucrar com a morte do povo!

Na CPI da Covid-19 foi pedido o indiciamento de  Bolsonaro, ministros e ex-ministros de seu governo por prevaricação, emprego irregular de verbas públicas, falsificação de documento, charlatanismo, crime contra a humanidade, crime de responsabilidade e epidemia com resultado de morte.  

  1. BOLSONARO AFIRMOU QUE A VACINA NÃO FUNCIONAVA

No início da tão aguardada vacinação no Brasil, antes de tentar lucrar com a compra dos imunizantes, Bolsonaro mentiu ao dizer que “não há nada comprovado cientificamente sobre essa vacina aí”. 

O presidente se referia a  vacina CoronaVac, que tempos antes de sua declaração, teve uso aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA),

A aprovação da Anvisa significa que a vacina tem a eficácia e a segurança necessárias para ser aplicada. 

  1. BOLSONARO INDICOU REMÉDIOS INEFICAZES PARA O TRATAMENTO DA COVID-19

Além de subestimar o potencial de mortalidade da doença, contestar a eficiência das vacinas e tentar lucrar com a compra dos imunizantes, Bolsonaro insistiu, durante o período mais grave da pandemia que os brasileiros usassem a hidroxicloroquina e ivermectina no tratamento da COVID-19. 

Os medicamentos, criados para tratamento de malária e verme, eram  no entanto, comprovadamente ineficazes no tratamento do coronavírus e eram contra indicados pela Organização Mundial da Saúde e pela Anvisa, já que podem causar efeitos colaterais graves no paciente. 

Que escrúpulo tem quem negligencia, mente e lucra com a saúde das pessoas? 

  1. BOLSONARO INSINUA QUE AS URNAS ELETRÔNICAS NÃO SÃO SEGURAS

Bolsonaro é, há 30 anos, parte do que há de mais sujo na política, mas se porta – de forma mentirosa – como se não fosse parte dela.

Por diversas vezes e sem apresentar provas, Bolsonaro afirmou que existiriam “fragilidades” no sistema das urnas, defendendo, inclusive, o voto impresso.

Nunca, desde o início de seu uso, houve fraude comprovada, nem denúncias consideradas relevantes contra as urnas. A segurança delas foi atestada diversas vezes por auditorias do TSE, investigações do Ministério Público Eleitoral e também por estudos matemáticos e estatísticos independentes.

Por tal razão, o governo atual é o grande responsável pela descrença de parte dos brasileiros com a política e com o processo democrático.

Bolsonaro não tem apreço pela verdade nem pela democracia.

  1. PARA BOLSONARO NÃO HOUVE GOLPE MILITAR EM 1964

Bolsonaro diz que não houve um golpe militar no Brasil. 

Mas o fato é que em 1964, o presidente João Goulart, legitimamente eleito, foi deposto por um golpe, e substituído, à força, por uma ditadura militar que durou 24 anos.

Durante o período, os brasileiros perderam o direito de escolher seus candidatos e a liberdade de expressão.

Estima-se que, além dos mortos, pelo menos 50 mil foram presos somente nos primeiros meses de ditadura e cerca de 20 mil brasileiros foram torturados.

Bolsonaro mente e faz piada com as vítimas da Ditadura Militar!

  1. BOLSONARO DISSE QUE ABAIXARIA OS PREÇOS, MAS EMPOBRECEU O POVO

Trazendo ao poder os piores representantes da política, não lidando com a pandemia de forma adequada e destruindo nossa democracia, Bolsonaro acabou por condenar muitos brasileiros à fome e à alta dos preços dos mantimentos, do combustível e do gás de cozinha.

No atual governo as famílias não conseguem mais se sustentar com o que ganham.

No entanto, na contramão da realidade, Bolsonaro mentiu que abaixaria os preços. Em uma live feita em seu canal do Facebook, em 2018, Bolsonaro prometeu que, caso fosse eleito presidente, o botijão de gás custaria R $30,00. Hoje, segundo dados da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).o botijão de 13 kg chega a custar R$ 160,00 em algumas regiões do Brasil.

Bolsonaro chegou a dizer também em sua campanha que abaixaria o preço do diesel e da gasolina. Mas a realidade é diferente. Em 2018 o preço médio da gasolina no Brasil era R$ 4,00. Hoje ela chega a custar mais de R$ 10,00 em alguns estados, como no Acre.

A carestia do combustível afeta o preço de quase todos os produtos, por essas e outras, a cesta básica tem o preço mais alto em décadas, chegando a custar mais de 60% do valor do salário mínimo.

TÁ CARO E É CULPA DO BOLSONARO, DE SEU DESGOVERNO E DE SUAS MENTIRAS!

 

Notícias relacionadas