Vitória da Educação: após 5 dias de permanência dos educadores no CAFF, governo abre a Mesa de negociação


A pressão exercida pelo Comando de Greve do CPERS, através da permanência do grupo no CAFF por cinco dias, possibilitou a primeira negociação com o governo Sartori (PMDB), após 34 dias de greve da categoria. Em reunião realizada com o secretário da Educação, Luís Alcoba, representantes do governo e deputados, logo após os educadores deixarem as instalações do CAFF, o governo assumiu o compromisso de revogar a portaria do Difícil Acesso e não descontar os dias de greve dos professores e funcionários de escola. Na coasião, o Comando também exigiu que o governo apresente um calendário para o pagamento do Piso Salarial e dos reajustes de 13,01% (2015) e 11,36% (2016), além de apresentar proposta para repor a defasagem de 69,44%. Até o final da tarde, o governo irá enviar um documento oficializando os compromissos assumidos.
Antes de deixarem o CAFF, o Comando de Greve concedeu uma entrevista coletiva para esclarecer os motivos que levaram à decisão. “Estamos dando um voto de confiança ao governo. Decidimos sair do CAFF porque o governo comprometeu-se em realmente avançar em nossa pauta. Estamos fazendo, mais uma vez, um gesto em busca do diálogo”, afirmou a presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer.
O Comando destaca que o atendimento às pautas de reivindicações da categoria não está completo, por isso os educadores continuarão a luta para que o governo contemple as demandas apresentadas desde o dia 13 de maio. A greve dos educadores, que hoje completa 34 dias, também continua. “Hoje, finalmente, conseguimos dar início às negociações com o governo. O fim do reenquadramento do Difícil Acesso foi uma grande conquista, pois é a garantia de que educadores não perderão nenhum recurso financeiro, do pouco que já recebem. Nossa greve continua até que a base da nossa categoria sinalize que devemos encerrar”, analisou Helenir.
Na próxima segunda-feira, dia 20, o Comando de Greve do CPERS se reunirá para avaliar o movimento.

,FOTO CAPA DESOCUPAÇÃO

Foto: Caco Argemi

FOTO SUL 21 DESOCUPAÇÃO

Foto: Joana Berwanger/Sul21

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Notícias relacionadas