Servidores vencem mais uma batalha contra o governo que, por falta de quórum não conseguiu aprovar PECs


Os educadores e demais servidores públicos estaduais venceram, nesta terça-feira (30), mais uma batalha contra a aprovação do pacote de maldades do governo Sartori. Por falta de quórum, não foram aprovadas as Propostas de Emenda à Constituição – PEC 255 e 261, durante a sessão plenária realizada na Assembleia Legislativa. Ou seja, o governo não tinha votos suficientes nem da sua própria base. Este é o resultado da pressão que os professores, funcionários de escola e demais categorias do funcionalismo público vem exercendo para que os deputados reprovem as PECs propostas pelo governo e que retiram direitos dos servidores.
A pressão dos educadores iniciou ainda pela manhã, na Praça da Matriz. Professores e funcionários de escola exigiram dos deputados, o voto contrário às PECs, logo após a reunião de líderes.
Para a aprovação das PECs é necessária a presença de 33 parlamentares e, após verificação de quórum, foi constatada a presença de somente 32 deputados. A PEC 255 altera o artigo 129, excluindo a guarda externa dos presídios das atribuições da Brigada Militar; enquanto a PEC 261 modifica o artigo 37, extinguindo o “tempo fictício”, que é a possibilidade de um professor importar benefícios no caso de ter trabalhado em outra rede de educação – como os municípios, por exemplo.
“Nossa resistência tem enfraquecido o governo. Hoje, mais uma vez, tivemos prova disso, pois não houve sequer o quórum necessário para votar as PECs. Novamente saímos vitoriosos. Mas vamos nos manter atentos para voltar com força à Praça da Matriz assim que o governo retomar as votações. Muito obrigada a todos e todas que têm vindo fazer a luta na Assembleia e na vigília”, destacou a presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer.

 

Notícias relacionadas