Retirada da meia passagem em Porto Alegre: Melo (MDB) e Eduardo Leite (PSDB) alinhados no corte de direitos dos educadores


O CPERS manifesta sua contrariedade e indignação pela aprovação do projeto de lei da prefeitura de Porto Alegre que reduz as isenções das tarifas de ônibus na capital. Com isso, os professores, que até então pagavam meia passagem no município, passam a custear o valor integral.

A proposição do prefeito Sebastião Melo (MDB) atinge fortemente os educadores, que já enfrentam severas dificuldades para sobreviver devido aos sete anos sem reposição salarial e todos os ataques do governo Eduardo Leite (PSDB). Somente da rede estadual, são 6.082 professores que poderão perder este benefício.

Melo, inclusive, apoiou, como deputado estadual e segue agora como prefeito, as políticas do governador que atacam a educação.

Fora o aumento da cesta básica, da energia elétrica e do gás, inúmeros professores viram seus salários minguar ainda mais com a retirada do local de exercício (antigo Difícil Acesso). Agora, sem a meia passagem, como farão para subsidiar o valor total, sendo que muitos precisam de duas conduções para chegar à escola?

O prefeito e os 24 vereadores que votaram a favor da proposta demonstram desconhecer e ignorar propositalmente a realidade dos educadores gaúchos. E ampliam ainda mais as adversidades diárias enfrentadas pela categoria.

Através de decisões lamentáveis como a retirada da meia passagem, Melo valida o desmonte da educação pública, orquestrado por Leite. Os gestores estão alinhados na implementação de um projeto de Estado Mínimo, que governa em benefício do lucro dos grandes empresários.

A retirada da meia passagem para educadores(as) é vergonhosa e violenta. Seguiremos lutando para denunciar e combater a destruição dos serviços públicos e a retirada de direitos da população que mais necessita.

Notícias relacionadas