Resolução contra o desmonte da educação no Brasil é aprovada em Congresso Mundial


Nesta quarta-feira (25), no 8° Congresso Mundial da Educação em Bangkok, na Tailândia, foi aprovada uma Resolução urgente sobre a situação da educação no Brasil, apresentada pela CNTE.

No documento, são denunciadas as tentativas do governo Bolsonaro de privatizar a educação bem como a violenta perseguição aos professores, conclamando todas as organizações sindicais de educação no mundo a se manifestarem contra este processo de destruição da educação pública brasileira.

O Congresso Mundial da Educação,  promovido pela Internacional da Educação (IE), reúne mais de 1.400 educadores de 151 países e neste ano debate a democracia, os direitos humanos e sindicais na educação. O CPERS está representado no evento pela presidente do Sindicato, Helenir Aguiar Schürer.

RESOLUÇÃO URGENTE SOBRE O BRASIL

O 8º Congresso Mundial da Educação Internacional, realizado em julho de 2019 em Bangkok, Tailândia,

Considerando:

  1. Envio do projeto de lei ao Congresso Nacional para promover o ensino privado é desenvolvido através do sistema de vouchers.
  2. Incentivo e candidatura para alunos do ensino fundamental (entre 06 e 14 anos de idade) recebem essa educação à distância.
  3. A aplicação da lei 13.415/17, que promove a privatização do ensino médio, restringindo a base de conhecimento de alunos que são parceiros segregados educacionalmente, distinguindo escolas para ricos e pobres, além de promover e desmantelar as políticas educacionais e sociais com um ataque sistemático aos direitos fundamental e social da população, especialmente dos setores historicamente marginalizados (negros, índios, mulheres, LGBTi).
  4. A crescente e violenta perseguição contra professores, promovida pela defensores de escolas não-partidárias, que acusam educadores de promover doutrinação ideológica com os alunos, além do crescente processo de militarização das escolas no Brasil, é agora implementado como um projeto de governo.
  5. O processo de privatização e comercialização da educação pública básica brasileira e superior através de programas que promovam a falta de responsabilidade do Estado contra a oferta de serviço público e financiamento do setor, desviando recursos público para o privado para o lucro.

O 8º Congresso Mundial da EI:

  1. Convocamos todas as organizações sindicais de educação no mundo e as International Education a se manifestarem contra este processo de destruição da educação pública no Brasil e promoção de políticas de privatização e comércio educacional

Notícias relacionadas