Nota de Repúdio: declarações de Eduardo Bolsonaro contra os educadores não devem ser toleradas


O CPERS vem a público expressar seu veemente repúdio e indignação diante das ações e declarações do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL/SP), que têm causado constrangimento e ofendido gravemente os educadores(as) de todo o Brasil, além de comprometerem o respeito e a dignidade necessários ao exercício de suas funções.

Durante discurso em uma manifestação do movimento pró-armas, no dia 9 de julho, em Brasília, o parlamentar comparou “professores doutrinadores”, expressão cunhada pela extrema-direita no país, a traficantes de drogas.

As declarações de Eduardo Bolsonaro, marcadas por desrespeito, agressividade e desinformação, não condizem com o decoro parlamentar esperado de um representante eleito pelo povo. Suas ações são incompatíveis com os princípios fundamentais do Estado de Direito e ferem os valores democráticos que devem nortear o exercício do poder.

Este discurso, mais uma vez, violenta os professores(as), transformando-os em alvo. No momento em que o governo federal, a Confederação Nacional dos Trabalhadores(as) em Educação (CNTE), o CPERS e a sociedade civil estão lutando para construir uma política de paz e tolerância nas escolas, sobretudo as instituições vítimas de atentados extremistas de direita, Eduardo Bolsonaro coloca em risco a vida de professores(as), funcionários da educação e estudantes.

Diante disso, o Sindicato exige que sejam tomadas medidas cabíveis para responsabilizar Eduardo Bolsonaro por suas ações. Defendemos a abertura imediata de um processo disciplinar no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, a fim de apurar sua quebra de decoro parlamentar.

Essa atitude repreensível não pode ser tolerada, e a cassação de seu mandato parlamentar se faz necessária para salvaguardar a integridade do Poder Legislativo e da sociedade brasileira como um todo.

Ressaltamos que a educação é um pilar fundamental para o desenvolvimento de qualquer nação. O desrespeito de Eduardo Bolsonaro aos professores(as) é uma afronta não apenas à classe, mas também a todos os estudantes e à própria sociedade, que precisa de uma educação de qualidade para avançar.

O CPERS reafirma seu compromisso em defender os direitos e a dignidade dos educadores(as) brasileiros. Esperamos que as instâncias competentes tomem as medidas necessárias para punir essa conduta inaceitável, a fim de preservar a ética, a integridade e a moralidade no exercício da função parlamentar.

Para exigir respeito a todos os educadores(as), a CNTE fez um abaixo-assinado pela cassação do deputado federal Eduardo Bolsonaro. O CPERS está junto nesta luta. Assine aqui.

Notícias relacionadas