Movimento Unificado dos Servidores Públicos reúne-se com senador Paulo Paim


IMG_4304

Nesta quinta-feira, dia 03 de setembro, o Movimento Unificado dos Servidores Públicos reuniu-se com o senador, Paulo Paim. O encontro aconteceu no 6º andar da sede da Fessergs.
Na abertura da reunião, o presidente da Fessegs, Sérgio Arnoud, falou sobre o ato que aconteceu às 14h em frente ao Palácio Piratini e também agradeceu a presença do senador Paim. “Hoje tivemos um grande ato, até maior do que esperávamos, que mostra o grau de indignação e mobilização dos servidores públicos com o governo Sartori. Agradecemos a sua presença, e estamos aqui com o Movimento Unificado para dar total apoio ao projeto que tramita no senado que pede a revisão da divida do Estado com a União”, afirmou.
O Projeto de Lei 561/2015, proposto pelos três senadores gaúchos Paulo Paim, Ana Amélia Lemos e Lasier Martins, altera a Lei Complementar 148 de 25 de novembro de 2014, para estabelecer novo índice de cálculo para atualização das dívidas do Rio Grande do Sul. O projeto portanto, estabelece a troca de correção do Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna – IGP-DI, mais juros de 6,17% ao ano, pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo- IPCA, sem juros. Por esse critério, a divida já estaria paga há muito tempo. Além disso os cofres do Piratini teriam que receber R$5,5 bilhões.
O senador Paulo Paim, relatou que está acompanhado a situação do Estado e do funcionalismo público de Brasília e se solidariza com os servidores. “Estamos acompanhando a situação do Rio Grande do Sul de Brasília. E os outros Estados estão perplexos, pois o Rio Grande do Sul sempre pareceu um Estado próspero e agora nos parece quebrado”, concluiu.  Paim relatou que se o projeto for aprovado favorece a todos do gaúchos, mas é preciso articulação para a aprovação do mesmo.”Só tem uma saída para tornar o projeto realidade, precisamos nos articular, se aprovado o projeto, a União vai ter que nos devolver alguns bilhões”, afirmou.
“Senador Paim, fico muito satisfeita com a sua disposição com o Estado e os servidores . Nós vamos precisar muito da sua influência, da Ana Amélia e o Lasier,  não somente para a divida da União, mas para não deixar diminuir o nosso Estado. Pois os senadores retém grande influência nos seus partidos e precisamos deste apoio para outros projetos que ameaçam os nossos direitos”, concluiu a presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer.
O presidente do Ceape, Josué Martins, fez uma análise da divida do Estado com a União e relatou que a briga será grande para o projeto ser aprovado. “Nós não estamos entrando em uma briga pequena. Se aprovado o projeto, ele nos faz passar de devedores para credores. Vamos precisar mobilizar muitos políticos”, ressaltou.
Em apoio ao projeto de lei o Movimento Unificado dos Servidores Públicos do Estado, realizará várias ações para mobilizar os servidores públicos e  pressionar os políticos, com o objetivo do mesmo ser aprovado, representando uma das saídas para retirar o Rio Grande do Sul da crise financeira atual.

Propostas aprovadas:
1- Articulação nacional através das centrais, confederações e movimentos para participar de uma sessão temática, para debater os problemas financeiros do Estado;
2- Senado irá elaborar uma cartilha como subsídio ao debate;
3- Audiência Pública sobre o tema juntamente com os três senadores do estado, Paulo Paim, Ana Amélia Lemos e Lasier Martins.

Notícias relacionadas