Milhares de Mulheres vão às ruas dizer não à Reforma da Previdência no Dia Internacional da Mulher


08032017-img_2074

O Dia Internacional da Mulher, nesta quarta-feira, dia 08, raiou com milhares de mulheres, trabalhadoras do campo e da cidade, educadoras, estudantes, aposentadas nas ruas. Em Porto Alegre a concentração da Marcha das Mulheres começou por volta das 5h, às margens da BR-290, nas proximidades da Ponte do Guaíba.
Os atos de mobilização no Dia da Mulher  ocorreram por todo o país contrários à Reforma da Previdência”, proposta pelo presidente ilegítimo Michel Temer. A PEC 287/2016 ataca todas as trabalhadoras e trabalhadores, acabando com os direitos adquiridos com muita luta. A PEC representa o fim da Previdência e o fim da aposentadoria. As mulheres serão as mais afetadas se a reforma for aprovada, pois acaba com critérios diferentes de gênero e estipula a idade mínima de 65 anos para as trabalhadoras como condição para requerer a aposentadoria.
Com faixas e bandeiras nas mãos por volta das 6h as mulheres começaram a marcha em direção ao centro de Porto Alegre. Durante o percurso as representantes de movimentos sociais, centrais sindicais e sindicatos relataram as lutas diárias das mulheres.
A Vice-presidente do CPERS, Solange Carvalho ressaltou a importância de participar da marcha contra a reforma da previdência especialmente no Dia Internacional da Mulher. “Essa reforma atinge principalmente as mulheres, por isso nós estamos aqui protestando e mostrando a unidade na luta contra a retirada de direitos”, afirmou.
“Em 2017 nossa luta e resistência será muito mais intensa. Nós mulheres teremos que lutar contra a reforma da previdência e as mudanças dos direitos trabalhistas” observou a diretora de Gênero e Diversidade do CPERS, Íris Carvalho.
Por volta das 9h a marcha chegou na frente da sede do INSS, na Av. Mauá onde continuaram as falas das manifestantes.

Seminário aborda impacto da reforma da previdência na vida das mulheres
Logo após a marcha ocorreu o seminário “O Impacto da Reforma da Previdência na Vida das Mulheres”, às 10h, na Assembleia Legislativa. Mais uma das atividades em alusão ao Dia Internacional da Mulher.
O encontro contou com a participação de representantes de diversos grupos feministas, ativistas sociais, sindicalistas e servidores públicos, que lotaram o Teatro Dante Barone. A diretora administrativa do CPERS, Rosane Zan participou da mesa.
O senador Paulo Paim falou ao vivo, de Brasília, por videoconferência e anunciou que conta com 35 assinaturas para a criação da CPI da Previdência. “Vamos investigar tudo e acabar com a farsa da Reforma da Previdência”, afirmou.
No final do encontro, os participantes aprovaram uma carta que será enviada aos deputados federais e senadores. O documento reivindica a rejeição da proposta de reforma e a instalação imediata de uma CPI para apurar eventuais irregularidades no sistema. Propõe ainda o combate à sonegação, a redução das renúncias fiscais e o fim das manobras orçamentárias, representadas pela desvinculação de recursos de áreas essenciais.

08032017-img_1799 08032017-img_2389

galeria-de-fotos

 

Notícias relacionadas