Matrículas poderão ser realizadas por e-mail e escolas devem abrir apenas em casos excepcionais


Na tarde desta quarta-feira (3) representantes da direção central do CPERS buscaram uma autoagenda na Secretaria Estadual de Educação (Seduc) para cobrar esclarecimentos quanto às matrículas presenciais e as convocações de funcionários(as) para o trabalho presencial durante vigência de bandeira preta.

A presidente do Sindicato, Helenir Aguiar Schürer, a diretora Vera Lessês e a advogada Gabriela Sebben, representando a Assessoria Jurídica do CPERS, foram recebidas pela secretária-adjunta da Seduc, Ivana Flores.

Ivana informou que, após reunião com o comitê científico, o governo decidiu prorrogar as matrículas até o dia 22 de março. Todos os documentos necessários poderão ser enviados por e-mail às escolas até a nova data ou enquanto vigorar a bandeira preta.

Helenir apresentou as aflições da categoria neste momento de registro recorde de casos e mortes devido à pandemia do coronavírus. 

“Estamos recebendo perguntas de diretores e funcionários muito apavorados com a situação do estado e com a realização das matrículas presenciais. Eles estão preocupados com as suas vidas e de seus familiares, precisamos garantir a segurança de todos antes do retorno presencial”, asseverou a presidente. 

Ivana afirmou que a Seduc está ciente e monitorando a situação, e recomenda aos diretores abrirem a escola o mínimo possível. 

“Prudência, o momento é de prudência. Recomendamos o atendimento escalonado só para o que for essencial nas escolas. Estamos respeitando o momento do Rio Grande do Sul. Enquanto for bandeira preta os pais não precisam ir às escolas que a matrícula já está garantida, a documentação poderá ser entregue depois”, garantiu a secretária-adjunta. 

A recomendação é que, na necessidade de abertura, as escolas não ultrapassem o limite de 25% de ocupação. 

Ivana também lembrou que as aulas recomeçarão no dia 8 de março como o previsto, mas de maneira totalmente remota. “A primeira questão mais urgente é o acolhimento e ele pode ser virtual. As crianças terão direito a educação, mas o momento é de calma, bom senso e essencialidade. O remoto não é o ideal, mas no momento é o que podemos contar para garantir a segurança de todos”. 

Segundo a secretária-adunta, o atendimento online será dividido em três fluxos: transferências, ingressos e assuntos gerais (pedidos de atestados,  históricos, etc.). Orientações detalhadas às direções, como o e-mail especifico para cada serviço, já estão disponíveis no site da Seduc. Clique aqui.

Ivana aproveitou para avisar que os atendimentos presencias para pedidos de aposentadorias serão interrompidos por alguns dias para não colocar em risco nem a categoria, nem os que realizam o atendimento.

“Por e-mail tudo seguirá funcionando. Enquanto tiver em bandeira preta precisamos de muita calma, mandem e-mail e aguardem uma resposta antes de tomar qualquer decisão”, finalizou a secretária. 

Confira o vídeo da presidente Helenir logo após a reunião: 

Notícias relacionadas