Luta unificada: nota de apoio aos trabalhadores da Carris


O CPERS soma-se a luta dos trabalhadores e trabalhadoras da Carris para impedir a privatização da empresa. A desestatização pretendida pelo prefeito Sebastião Melo (MDB), visa apenas o lucro, beneficiando o empresariado, deixando inúmeros trabalhadores desempregados e prejudicando a população da capital.

No início deste mês, o prefeito da capital, Sebastião Melo (MDB), ignorou os apelos da categoria e extinguiu, através do projeto de lei nº 016/2021, o cargo de cobrador de ônibus em Porto Alegre.

Na tarde desta quarta-feira (8), o projeto de privatização da empresa deve ser votado pela Câmara de Vereadores.

A postura neoliberal e a defesa da privatização seguem a linha dos governos Bolsonaro e Eduardo Leite, que buscam, incessantemente, acabar com os serviços públicos e retirar direitos históricos dos servidores.

A falta de diálogo também é outro ponto em comum entre estes governos neoliberais. Até agora, o prefeito não ouviu a Comissão dos Trabalhadores da Carris sobre o projeto elaborado por eles, Estratégias para o Transporte Público de Porto Alegre, que apresenta uma proposta viável para a manutenção dos empregos e a qualidade do transporte na capital.

Mas Melo prefere ignorar e reprimir com truculência a justa luta dos metroviários.

A Carris possui 149 anos de história, que não podem ser eliminados em função de interesses capitalistas.

Não podemos aceitar que a entrega do patrimônio público dos gaúchos siga a passos largos.

O Sindicato conclama a categoria para unir-se a esta importante luta, pressionando os vereadores para que vetem o projeto de desestatização da Carris.

 

Notícias relacionadas