Etapa regional da Mostra Pedagógica do CPERS valoriza a diversidade da escola pública na capital


Na tarde desta terça-feira (26), apesar das adversidades climáticas que castigaram o Rio Grande do Sul com alagamentos que afetaram inúmeras escolas e milhares de famílias, educadores(as) e alunos(as) de Porto Alegre demonstraram o compromisso e a determinação das comunidades escolares na realização da etapa regional da Mostra Pedagógica, do 38º Núcleo, que ocorreu na sede do CPERS.

As fortes chuvas que alagaram diversas instituições de ensino não foram capazes de deter o espírito de luta pela educação pública gaúcha. Este evento, que celebra o talento e a criatividade dos educadores(as) e estudantes, serviu como um testemunho da força daqueles que buscam um ensino de qualidade, independentemente dos desafios impostos, inclusive pela displicência do governo Eduardo Leite (PSDB) com o ensino.

A tesoureira do Sindicato, Rosane Zan, destacou que a escola pública é um pilar essencial em nossa sociedade e deve ser valorizada como tal.

“Aqueles que fazem a diferença nesse ambiente são, sem dúvida, nossos educadores. Eles enfrentam diariamente as dificuldades inerentes à educação pública, lutando contra as mazelas que permeiam nosso sistema educacional, impostas pelo descaso do governo Eduardo Leite”, frisou.

“Precisamos destacar que o investimento na educação não é um gasto, mas sim um investimento no futuro de nossa nação. Valorizar nossos educadores é reconhecer a importância de seu papel na formação das mentes jovens, na construção de uma sociedade mais informada e crítica. Nossos educadores enfrentam desafios diários para proporcionar o melhor para nossos alunos. É nosso dever como sociedade reconhecer e valorizar o trabalho incansável desses profissionais. Viva a escola pública! A escola pública é nossa”, completou.

Para a diretora do 38º Núcleo, Terezinha Bulle da Silva, mesmo diante da crônica falta de estrutura nas escolas, os educadores(as) persistem incansavelmente na missão de preparar os alunos(as) para enfrentar os desafios da sociedade contemporânea, citando Paulo Freire como símbolo da luta pela educação pública.

“Apesar das dificuldades impostas pela escassez de investimento por parte do governo, fazemos o impossível para garantir que nossos alunos se tornem cidadãos críticos e informados, capazes de contribuir para um futuro melhor. O cenário educacional é um terreno árido, frequentemente marcado pela ausência de recursos e infraestrutura adequados. A falta de verbas e a negligência governamental têm sido uma pedra no nosso caminho, mas nossa dedicação persiste”, destacou.

Projetos atestam a qualidade da escola pública gaúcha

A comunidade da EEEF Eng. Rodolfo Ahrons apresentou o projeto “Culinária de Gaúcho”, realizado em parceria com a EEEF Toyama, sob orientação da educadora Cristiane Viegas. Por meio de uma aula-oficina conduzida pela professora, com a assistência de suas estagiárias, foram preparados pratos autênticos da culinária rio-grandense, proporcionando às crianças a prática da leitura das instruções culinárias, compreendendo o formato desse tipo de texto.

Na ocasião, a professora e os alunos(as) apresentaram a receita tradicional da cultura gaúcha “Roda de Carreta”, compartilhando aos presentes a degustação da culinária. “A receita foi desenvolvida como uma solução criativa para atender às necessidades dos viajantes, tropeiros e campeiros que frequentemente enfrentavam a escassez de pão e a falta de utensílios para preparar seus alimentos”, explicou a professora.

Para o aluno Bernardo dos Santos, essa é uma receita caseira que representa um gesto de amor e carinho. “As crianças ajudavam as mães na preparação da massa, amassavam, modelavam e, depois, as mães fritavam. Em seguida, a família sentava junto para desfrutar da refeição que havia sido preparada com tanto afeto”, explanou.

A professora Patrícia Unanue Dias, da EEEF Imperatriz Leopoldina, explanou sobre o projeto “Comunidade Leitora”, cujo objetivo é estabelecer a inclusão, acolhimento e diminuição de barreiras pedagógicas para os alunos(as) com deficiência.

“Desenvolvemos um projeto com alunos que têm necessidades especiais, e um dos nossos estudantes, o Samuel, demonstrou um talento notável em criar objetos a partir de materiais reciclados. Ele teve a ideia de criar um livro para destacar a criatividade de todos, usando objetos de sucata. Isso inspirou outros alunos a também produzirem livros abordando temas que lhes interessavam”, frisou.

Ela explanou que o Samuel demonstrou sua habilidade ao criar um modelo de avião exclusivo usando apenas materiais que encontrou, criando uma representação de um avião antigo. No entanto, a escola também enfrentou dificuldades recentemente devido às fortes chuvas que alagaram a sala de recursos. “É especialmente difícil para o Samuel, que ficou muito abalado com a situação. Lamentavelmente, essa é uma responsabilidade que, na nossa escola, enfrentamos sem ter recursos suficientes para resolver de imediato. O governo precisa investir na estrutura das escolas”

A professora Ana Paula Marques, apresentou o trabalho “Pizza Literária”, coordenado pela a professora Valéria Toledo e desenvolvido em parceria com os alunos(as) da EEEM Professor Alcides Cunha. “Promover a imaginação e cultivar o hábito da leitura é essencial. Como professora de Língua Portuguesa e Literatura, é fundamental incentivar essa prática em todos os alunos. Através dela, não apenas enriquecemos o vocabulário, mas também fomentamos o gosto pela leitura, o que é de extrema importância no processo educacional. Como disse Paulo Freire, ‘Enquanto eu luto, sou movida pela esperança'”.

Já Solange Bolzan, professora da EEEM Santa Rosa, apresentou o projeto “Viajando com a História das Antigas Civilizações e os Povos Originários na América do Sul”, cujo objetivo é respeitar as diferenças culturais e sociais dos povos. Por conta da chuva, os alunos(as) não puderam comparecer e apresentar o trabalho.

“Estávamos ansiosos para prestigiar este momento tão especial, que envolveu esforços tanto de nós, professores, quanto dos nossos dedicados alunos. Infelizmente, devido às chuvas intensas, nossa escola ficou alagada. As condições climáticas estão realmente adversas, com uma quantidade significativa de chuva. Lamentavelmente, isso nos impediu de nos reunirmos como planejado”.

O CE Cândido José de Godói também ficou alagado com as fortes chuvas. A educadora Clarice Dal Médico explicou sobre o projeto “Desenvolvendo a formação humana dos estudantes”, que apresenta uma análise crítica à imposição do Novo Ensino Médio pelo governo Eduardo Leite (PSDB). O trabalho é uma articulação entre os professores(as) para desenvolver atividades interdisciplinares.

“Estamos, atualmente, trabalhando na articulação dos nossos projetos educacionais, visando proporcionar uma abordagem mais integrada para que os alunos possam compreender melhor a BNCC e realizar uma análise crítica quanto ao novo Ensino Médio, que é um desafio enorme imposto aos professores”, explanou.

A mesa de jurados foi composta por Valéria Chemale Espíndola (Professora Aposentada), Olga da Rosa Pereira (Funcionária Aposentada) e Cristiane Braga (Professora).

>> Projetos selecionados para a etapa estadual da 5ª Mostra Pedagógica:

> Categoria Ensino Fundamental – Séries Iniciais:
Projeto “Comunidade Leitora” – EEF Imperatriz Leopoldina

> Categoria Ensino Médio:
Projeto “A Feira das Nações” – EEEB Almirante Bacelar

Etapas Regional e Estadual

Os 42 núcleos do CPERS realizarão mostras regionais até novembro e os educadores(as) devem se inscrever com até cinco dias de antecedência ao evento na sua região. Os projetos e trabalhos mais significativos terão lugar na etapa estadual da Mostra. As experiências selecionadas também serão compiladas em uma publicação especial.

️ INFORMAÇÕES IMPORTANTES:

1) Somente sócios(as) do CPERS terão suas inscrições validadas para a Mostra Pedagógica;
2) Os anexos (como documentos, trabalhos por escrito ou em PowerPoint, fotos e vídeos) devem ser enviados para o e-mail [email protected];
3) As inscrições podem ser realizadas com até 5 (CINCO) dias de antecedência à Mostra Regional do seu núcleo. Clique aqui para conferir o cronograma das etapas regionais da Mostra;
4) Clique aqui para acessar o regulamento completo da Mostra Pedagógica;
5) Se tiver dificuldades no preenchimento do formulário ou outras dúvidas, entre em contato pelo e-mail [email protected] ou pelo fone (51) 3254.6000.

 

Notícias relacionadas