Entidades dos servidores públicos cobram reposição de 10,06% do governador Ranolfo Viera Júnior


Na manhã desta quarta-feira (20), entidades representativas do funcionalismo público reuniram-se com o governador, Ranolfo Vieira Júnior (PSDB), para apresentar a insatisfação com o projeto encaminhado à Assembleia Legislativa de 6% de reajuste e cobrar reposição de 10,06% para todos(as) os servidores(as).

Desde que assumiu o cargo, esse foi o primeiro encontro do novo governador com as entidades. Durante a reunião, Ranolfo garantiu estar aberto ao diálogo e às necessidades das categorias.

“Todos conhecem a minha história como servidor público e não vai ser diferente na condição de governador do Estado. Vamos primar pelo diálogo e pela transparência”, garantiu.

Apesar da receptividade, o governo insiste em não haver condições de conceder qualquer correção acima dos 6%, levando em consideração as limitações da legislação eleitoral e de responsabilidade fiscal.

Na ocasião, a presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer, entregou ao governante um estudo elaborado pelo Diesse, que aponta, entre outras ponderações, as perdas salariais dos servidores(as) públicos – da ativa e aposentados(as) – desde o último reajuste, em 2014, e ainda ressalta que, o atingimento dos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal não depende apenas do reajuste aos servidores(as), como alega o governo.

“Esse estudo do Dieese comprova que sim, é possível avançarmos nessa proposta. Esses 6% não recuperam sequer 1% de cada ano em que não tivemos reajuste. O ataque às nossas carreiras também fizeram com que o governo confiscasse o dinheiro que agora nos falta. Estamos aqui, com a pauta unitária dos servidores, exigindo uma reposição de, no mínimo, 10,06%”, destacou a presidente Helenir.

Também foi entregue a Ranolfo o dossiê com o levantamento da #CaravanaDaVerdade do CPERS, realizada neste ano, sobre a real situação das escolas estaduais.

Ao fim do encontro, ficou firmado o compromisso de uma reunião exclusiva do CPERS com o governo para tratar de pautas especificas da categoria, como o desconto da greve, o necessário reajuste dos funcionários(as) de escola e o reenquadramento de aposentadorias.

Na próxima terça-feira (26), a partir das 9h, os servidores(as) públicos reúnem-se novamente para um ato em defesa do IPE Saúde, por salário digno e pela revisão do valor do Salário Mínimo Regional.

Além do governador, participaram da reunião:

O secretário chefe da Casa Civil, Artur Lemos, o procurador-geral do Estado, Eduardo da Costa, o secretário de Planejamento, Governança e Gestão, Claudio Gastal, o subsecretário do Tesouro, Eduardo Lacher, a subsecretária adjunta do Tesouro, Juliana Debaquer, e o líder do governo, Frederico Antunes (PP).

Entidades presentes:

CPERS
Sindicato dos Servidores de Nível Superior (Sintergs)
União Gaúcha em Defesa da Previdência Social e Pública (União Gaúcha)
Sindicato dos Servidores da Procuradoria-Geral do Estado (SindisPGE)
Sindicato dos Servidores da Caixa Econômica Estadual (Sindicaixa)
Sindicato dos Servidores Públicos Estado (Sindsepe)
Sindicato dos Técnicos Tributários da Receita Estadual (Afocefe)
Sindicato dos Servidores Públicos Aposentados e Pensionistas do Estado (Sinapers)
Associação dos Técnicos Administrativos (Astap)
Associação dos Servidores do Quadro dos Técnico-científicos do Estado (Asters)
Associação dos Analistas de Planejamento, Orçamento e Gestão do Estado (Aapog-RS)

Notícias relacionadas