Direção da Fundação Piratini fecha as portas e barra acesso a TVE e FM Cultura


A direção da Fundação Piratini decidiu, nesta segunda-feira (19), fechar as portas da TVE e da FM Cultura até segunda ordem. As emissoras estão apenas retransmitindo conteúdo e nenhum funcionário, nem servidores nem cargos de confiança, têm acesso ao prédio. A fundação está ameaçada de extinção pelo PL 246, uma das medidas do pacote de ajuste fiscal do governo Sartori que começou a ser votado ontem na Assembleia Legislativa.
Alexandre Leboutte, uma das lideranças do movimento de servidores da fundação, confirma a informação, apesar de não ter recebido nenhuma comunicação formal sobre a decisão. “Ontem, estive lá à noite, por volta das 23h. Falei com seguranças e eles disseram que a orientação é não deixar ninguém entrar”, afirma.
Segundo ele, todos os funcionários que estavam no local foram mandados para a casa no final da tarde de ontem com a orientação de só retornarem na próxima segunda-feira (26). A maioria dos servidores concursados, porém, está em greve contra o projeto que extingue a Fundação Piratini.
A reportagem tentou entrar em contato com a Fundação Piratini, mas conseguiu falar apenas com seguranças, que também confirmaram a orientação de não deixar ninguém entrar. Já o governo do Estado, através da Casa Civil, diz que a orientação é permitir apenas a entrada de funcionários que não aderiram à greve e, por questões de segurança, mantém as portas fechadas enquanto durar a paralisação.
Ao contrário de boatos que circularam nas redes sociais, não há informação sobre a presença de policiais militares no local para impedir a ocupação dos prédios pelos funcionários em greve.
A TVE está retransmitindo a programação da TV Cultura e da TV Brasil, enquanto a FM Cultura está tocando apenas playlists de música pré-programadas.

Fonte: Sul 21

Notícias relacionadas