Centenas de educadores participam da Caravana em Defesa da Educação em Osório


11/08/2015  OSÓRIO/ RS /BRASIL Caravana Estadual na Luta Pela Educação Pública      Foto: Caco Argemi/CPERS
11/08/2015 OSÓRIO/ RS /BRASIL Caravana Estadual na Luta Pela Educação Pública Foto: Caco Argemi/CPERS

Nesta terça-feira, dia 11, centenas de professores e funcionários de escolas do município de Osório e região foram às ruas pedir que o governo Sartori respeite os seus direitos e encerre o ciclo de ameaças que realiza desde que assumiu o Estado. No último dia 31, o governo prejudicou 62 mil educadores com o parcelamento de salários. Hoje, após perceber a força da mobilização da categoria, unificada aos demais servidores do Estado, recuou e pagou o restante da folha de julho. Porém, não deu nenhuma garantia de que o salário de agosto será pago em dia e na íntegra.
Pela manhã, os educadores lotaram a Câmara de Vereadores de Osório para realizar a Assembleia Regional do 13º Núcleo. Na abertura, diretores do CPERS destacaram a importância de manter e ampliar a união e a mobilização da categoria. “Nós vencemos uma etapa. O governo recuou ao perceber a nossa força. Mas não podemos esmorecer, temos de manter nossa unidade. Agora, é greve conjunta com os demais servidores públicos para impedirmos qualquer retirada de direitos”, destacou a diretora e tesoureira do CPERS, Ida Dettmer.
“Pararemos o Estado para dizer que não somos a causa da crise, somos sim a solução. Não vamos aceitar esse rótulo, muito menos a retirada dos nossos direitos”, afirmou a diretora Íris de Carvalho.

Participação na greve e solidariedade dos alunos

Na ocasião, foi colocada em votação e aprovada, por unanimidade, a participação dos educadores do 13°úcleo na greve unificada dos servidores públicos estaduais. No dia 18, às 9h30, ocorre a Assembleia Geral do CPERS para definir a decisão de toda a categoria. No mesmo dia, às 14h, haverá a Assembleia Unificada dos Servidores, no Largo glênio Peres, em Porto Alegre, para a decisão sobre a greve unificada do funcionalismo público gaúcho. Outra decisão da Assembleia Regional do Núcleo de Osório foi a de realizar ações nas Câmaras Municipais de Vereadores em cada região, através de iniciativas como o uso da tribuna, a solicitação de espaço aos vereadores e a participação nas sessões para debater as pautas da categoria.
À tarde, os educadores realizaram um ato público na praça da Matriz chamando a atenção da sociedade para o descaso do governo com à educação pública gaúcha e com os servidores.
“Não podemos admitir não termos sequer nosso salário pago em dia e na sua integralidade. Precisamos continuar unidos e lutando pela manutenção dos nossos direitos”, observou o secretário geral do CPERS, Edson Garcia.
A diretora do 13º Núcleo, Ana Beatriz de Vasconcelos Pereira informou que 90% das escolas paralisaram as atividades nesta terça-feira e destacou a força da mobilização no município. “Há muito tempo não presenciava uma manifestação forte como essa. Trabalhamos muito para que esta manifestação realmente mobilizasse os educadores e a comunidade escolar. Estou muito satisfeita em ver a nossa força”, declarou.
No local, alunos da escola rural Ildefonso Simões Lopes apresentaram uma peça teatral, produzida durante as Aulas de Cidadania e organizada pelas professoras Carla Jacinto e Rose Soares. Na encenação, palavras como descaso, injustiça e vergonha eram destacadas como sentimentos que prevalecem no atual momento vivenciado nas escolas.
Durante todo o ato público, alunos de diversas escolas demonstraram solidariedade aos educadores. “Nossos professores já ganham tão pouco, parcelar os salários foi o estopim. Mas temos consciência de que a mobilização é por muito mais do que isso e estamos do lado ao lado deles”, afirmou a estudante Valentina Michelon Steinmetz.

Notícias relacionadas