ATENÇÃO: líder de Bolsonaro na Câmara ameaça retomar tramitação da PEC 32


Nesta segunda-feira (3), em entrevista para a Globo News, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP), afirmou que pretende retomar a tramitação da Reforma Administrativa (PEC 32), já na próxima semana.

A decisão tem o apoio do ministro da Economia, Paulo Guedes, que já havia afirmado que o governo voltaria suas forças para a aprovação da PEC após as eleições. Em 2021, graças à forte mobilização de entidades, da pressão popular e ação efetiva do CPERS Sindicato junto a outros Sindicatos brasileiros durante um longo período, o projeto foi barrado.

Vale ressaltar, a PEC 32 não “acabará com privilégios”, como mentem os que a apoiam. O que ela irá ocasionar, na verdade, é o desmonte do serviço público e não dialoga com a necessidade de expansão da educação pública (básica e superior), promovendo ampla privatização dos serviços básicos (saúde, educação, entre outros), precarizando as condições de trabalho dos educadores(as) e promovendo mais exclusão socioeducacional no país.

É preciso retomar a pressão para que o projeto não seja aprovado! Se por um lado o governo tem a força de milhões para comprar deputados(as) com seu ‘orçamento secreto’, a sociedade tem a força de milhões nas ruas e nas redes.

É preciso pressionar os parlamentares e continuar lutando a favor do país e dos direitos de todos(as) os brasileiros e brasileiras. Vamos nos unir em favor da defesa dos serviços públicos!

CONHEÇA 10 RAZÕES PARA AGIR CONTRA A REFORMA ADMINISTRATIVA (PEC 32):

1. O FIM DO SUS
No lugar de um sistema de saúde universal que salva vidas, o governo quer implantar vale-saúde­ e planos de quinta categoria, deixando o povo na mão.

2. PRIVILÉGIOS DA ALTA CÚPULA DO ESTADO MANTIDOS
A maioria dos servidores tem salário médio de R$ 2,8 mil e são os mais atingidos. Estão de fora juízes, parlamentares e militares.

3. ­­PIORA NO ATENDIMENTO À POPULAÇÃO
O Brasil tem poucos servidores públicos em relação à sua população: são 5,6% enquanto a média­ dos países ricos incluindo EUA, França e Alemanha é de 10%.

4. FIM DA ESCOLA PÚBLICA
Além de educar as crianças, a Escola Pública tem uma rede de proteção­ alimentar, parte fundamental da política de assistência social.

5. AUMENTO DO DESEMPREGO
O investimento em assistência social e serviços públicos gera renda e empregos no setor privado. Sem isso, o desemprego aumenta.

6. ACABA COM A VACINAÇÃO PÚBLICA E GRATUITA
As vacinas contra a Covid-19 só existem porque a Fiocruz e o Instituto Butantan são órgãos do Estado. E porque o SUS é público e está presente em todo o país.

7. FIM DOS CONCURSOS, VOLTA DO APADRINHAMENTO
O concurso público é o que garante a contratação e trabalhadores sem nenhum tipo de influência política, filosófica, ou religiosa. Sem isso é a volta dos ‘’trens da alegria’’.

8. AUMENTO DA DESIGUALDADE SOCIAL
Menos serviço público é mais injustiça porque são os mais pobres que mais necessitam.

9. FACILITA A CORRUPÇÃO E AS MAMATAS
Pois acaba com a estabilidade dos servidores públicos, que ficam submissos aos desmandos de governos de plantão.

10. MAIS DESMATAMENTO, SECAS, QUEIMADAS, MATANÇAS DOS ANIMAIS
O governo quer desmantelar órgãos ambientais que protegem a agricultura e a vida como o IBAMA e o ICMBIO

Para ter serviços públicos gratuitos e de qualidade junte-se nesta luta! #PEC32NÃO

Notícias relacionadas