Unidade na luta por reajuste para toda a categoria: Assembleia Geral do CPERS abre o debate sobre a construção da Greve da educação


Discutir na base a construção da Greve da educação por valorização salarial para TODA a categoria: funcionárias(os) e professoras(es), da ativa e aposentadas(os), com e sem paridade. Esta foi a principal proposta de mobilização aprovada na Assembleia Geral do CPERS, realizada nesta sexta-feira (22), na Casa do Gaúcho, em Porto Alegre.

No “Dia D de Mobilização”, dentro da programação do “Março de Lutas” do Sindicato, milhares de educadoras(es) deixaram o recado para a praga que devasta o ensino público gaúcho: chega de descaso, Eduardo Leite (PSDB)!

“Quem esteve na nossa Assembleia Geral volta para as escolas e para casa com um compromisso: temos que pressionar e aumentar o tom com o governo do Estado. Além da massiva participação nas atividades marcadas, é importante discutir nas escolas a construção da greve caso Eduardo Leite não atenda as nossas demandas. Essa é a discussão que tem que acontecer no chão da escola”, conclamou a presidente do Sindicato, Helenir Aguiar Schürer, ao fim do encontro.

>> Confira a íntegra da Assembleia Geral no vídeo:

Além da construção da Greve, a Assembleia também deliberou o fortalecimento da luta pelo aumento do salário básico das(os) funcionárias(os) de escola para, no mínimo, o valor do Salário Mínimo Regional, aplicado no Plano de Carreira, o fim do desconto das verbas indenizatórias do completivo e a pressão pela Revisão Geral dos salários para a garantia de reajuste para aquelas e aqueles que ficaram de fora do aumento do Piso.

Os educadores e educadoras participantes também ratificaram um calendário de lutas tirado do Conselho Geral da entidade, realizado na noite desta quinta-feira (21), que definiu as propostas que seriam apresentadas na Assembleia. Confira abaixo:

  • 23/03/2024: participar do Dia Nacional de Mobilização: “Ditadura Nunca Mais! Contra o Genocídio na Palestina, Em Memória dos 60 Anos do Golpe, Em Defesa da Democracia e Sem Anistia para os Golpistas”, promovido pela Frente Brasil Popular e Povo Sem Medo;
  • 26/03/2024: realizar, em todas as regiões do Estado, a denúncia no PROCON da ausência de atendimento do IPE Saúde, mesmo após o aumento na contribuição;
  • 1°/04/2024: realizar panfletagem em todos os Núcleos, desmascarando as mentiras de Eduardo Leite (PSDB) e distribuindo a carta construída no V Encontro Estadual de Aposentadas(os) do CPERS, com os núcleos organizando grupos para a distribuição de material;
  • 04/04/2024: realizar Ato Estadual com paralisação pelo básico de, no mínimo, o valor do Salário Mínimo Regional aplicado no Plano de Carreira das(os) funcionárias(os) de escola e pelo fim do desconto das verbas indenizatórias do completivo destas(es) servidoras(es) e pela revisão geral dos salários;
  • 18/04/2024: participar do Dia Nacional de Luta chamado pela CNTE, com atividades nos municípios, em defesa do Piso Salarial, da Carreira, pela manutenção da luta pela revogação do Novo Ensino Médio e do Plano Nacional de Educação Democrático e Emancipador;
  • De 22 a 26/04/2024: participar das atividades promovidas pela CNTE na Semana da Educação;
  • 24/04/2024: realizar Ato Estadual, chamado pelo CPERS/Sindicato, e construído com a unidade dos servidores(as) públicos, com as pautas salarias das(os) professoras(es) e funcionárias(os);
  • 1°/05/2024: participar das atividades chamadas pelas Centrais Sindicais nos Núcleos do Sindicato;
  • 22/05/2024: participar da Marcha de Trabalhadores(as) em Brasília. 

>> Confira o álbum com as fotos da Assembleia Geral do CPERS:

Em defesa do IPE Saúde, CPERS e FSP marcham pela capital

Antecedendo a realização da Assembleia Geral, na manhã desta sexta-feira (22), milhares de servidores e servidoras, de todo o Rio Grande do Sul, realizaram um Ato Público Estadual e, posteriormente, saíram em caminhada, da sede do IPE Saúde até o Palácio Piratini, na luta incansável por um atendimento de qualidade no Instituto e para denunciar as injustiças e as mentiras do governo Leite (PSDB) à população gaúcha.

Na abertura do ato, o presidente da autarquia, Paulo Opermann, recebeu o CPERS e representantes de entidades da Frente dos Servidores Públicos do RS (FSP/RS) para ouvir as demandas das categorias.

Após a reforma do IPE Saúde, proposta pelo Executivo e aprovada pela Assembleia Legislativa, em junho de 2023, servidores(as) sofrem com o aumento das alíquotas e a taxação de seus dependentes. Porém, o discurso vendido para a sociedade por Leite (PSDB), de que o acréscimo nas contribuições qualificaria os serviços oferecidos, não se sustenta – e a realidade prova o contrário diariamente.

>> Veja o álbum com as fotos da reunião e da caminhada dos(as) servidores(as) pela capital: 

>> Confira o conjunto das propostas de mobilização aprovadas na Assembleia Geral desta sexta-feira (22):

1 – Discutir na base a construção da Greve, realizando paralisações e Atos Estaduais;

2 – Realizar Ato Estadual com Paralisação no dia 04/04/2024, pelo básico de, no mínimo, o valor do Salário Mínimo Regional, aplicado no Plano de Carreira das(os) funcionários(as) de escola, pelo fim do desconto das verbas indenizatórias do completivo e pela Revisão Geral dos salários;

3 – Realizar panfletagem em todos os Núcleos, no dia 01/04/2024, desmascarando as mentiras de Eduardo Leite (PSDB) e distribuindo a carta construída no V Encontro Estadual de Aposentadas(os), com os núcleos organizando grupos para a distribuição de material;

4 – Realizar no dia 26/03/2024, em todas as regiões do Estado, a denúncia no PROCON da ausência de atendimento do IPE Saúde, mesmo após o aumento na contribuição;

5 – Participar do Dia Nacional de Luta em 18/04/2024, chamado pela CNTE, com atividades nos Municípios, em defesa do Piso Salarial, da Carreira, pela manutenção da luta pela revogação do Novo Ensino Médio e do Plano Nacional de Educação Democrático e Emancipador;

6 – Participar das atividades, promovidas pela CNTE, na Semana da Educação, entre os dias 22 e 26/04/2024;

7 – Realizar Ato Estadual, chamado pelo CPERS/Sindicato e construído com a unidade dos servidores(as) públicos, no dia 24/04/2024, com as pautas salariais dos professores(as) e funcionários(as);

8 – Participar do Dia Nacional de Mobilização, dia 23/03/2024, promovido pela Frente Brasil Popular e Povo Sem Medo: “Ditadura Nunca Mais! Contra o Genocídio na Palestina, Em Memória dos 60 Anos do Golpe, Em Defesa da Democracia e Sem Anistia para os Golpistas”;

9 – Participar das atividades do 01/05/2024, chamadas pelas Centrais Sindicais, nas regiões dos Núcleos;

10 – Participar da Marcha de Trabalhadores(as) em Brasília no dia 22/05/2024;

11 – Avaliar no Conselho Geral de abril o andamento da construção da greve.

Porto Alegre, 22 de março de 2024.
Assembleia Geral do CPERS/Sindicato.

Notícias relacionadas