Quase mil escolas foram afetadas pela maior tragédia climática do RS


Números alarmantes revelam a extensão dos danos causados às escolas diante da maior tragédia climática que assolou o Rio Grande do Sul. De acordo com os dados da Secretaria de Educação (Seduc), 954 escolas (40,7% ) foram impactadas de alguma forma pelas enchentes, resultando na interrupção das aulas. Destas, 425 sofreram danos variados, desde problemas estruturais até a perda de equipamentos essenciais. 

O quadro se agrava ao constatar que mais de 330 mil alunas e alunos estão sem previsão de retorno às salas de aula em todo o estado. 

>> Escolas afetadas no RS (danificadas, servindo de abrigo, com problemas de transporte e acesso e outros):

  • 236 municípios;
  • 28 coordenadorias regionais;
  • 331.223 estudantes impactados;
  • 425 escolas com algum tipo de dano, que pode envolver desde mobiliário, equipamentos, algo estrutural;
  • 77 escolas servindo de abrigo.

Segundo o último boletim divulgado pela Defesa Civil, no dia 9 de maio, o número de mortes relacionadas às intempéries subiu para 107, com 136 pessoas ainda desaparecidas. Estima-se que o temporal tenha afetado diretamente pelo menos 1,4 milhão de gaúchas e gaúchos até o momento.

Além das perdas irreparáveis de vidas, as autoridades locais estão empenhadas em investigar se outras quatro mortes estão vinculadas aos eventos meteorológicos, destacando a magnitude do desastre que assola o estado.

Ao todo, há 66.761 pessoas em abrigos, 163.720 desalojados e 372 feridos socorridos.

O CPERS está mobilizando esforços para solucionar os problemas emergenciais que afetaram escolas e as educadoras(es) de todo o estado. Estamos cobrando de Eduardo Leite (PSDB) para que sejam implementadas medidas preventivas eficazes para evitar que situações semelhantes se repitam no futuro. Investimentos em manutenção contínua e estratégias de adaptação às condições climáticas são essenciais para garantir a segurança e a continuidade do processo educacional.

A educação é um pilar fundamental para o desenvolvimento de uma sociedade e, diante dos desafios enfrentados, é imperativo que sejam adotadas medidas urgentes para garantir o direito à educação de todos os estudantes e auxílios emergenciais a todas as professoras(es) e funcionárias(0s) de escola, da ativa e aposentadas(os), vítimas desta catástrofe sem precedentes.

Notícias relacionadas