Nova parcial aponta a falta de pelo menos 1,4 mil educadores em 414 escolas estaduais


Lançada no dia 2 de março, a edição de 2020 do Levantamento de Necessidades das Escolas já conta com a participação de 414 escolas da rede (cerca de 17% do total de instituições estaduais).

A pesquisa, realizada em formulário online e preenchida por diretores(as), trabalhadores(as), pais e estudantes, contabiliza a falta de 1.433 professores(as), funcionários(as) de escola e especialistas.

  • Falta de professores(as): 633
  • Falta de funcionários(as): 510
  • Falta de especialistas: 290

Entre as disciplinas mais prejudicadas, estão língua estrangeira (com 96 vagas em aberto), português (65) e matemática (63).

▶ Saiba como receber notícias do CPERS por whatsapp

O caso da língua estrangeira, particularmente, depõe contra a capacidade de gestão e planejamento do governo. A obrigatoriedade do espanhol na rede pública foi aprovada em 2018 na Assembleia Legislativa e o Estado teve o ano letivo de 2019 inteiro para antecipar o problema.

Além da falta de recursos humanos, o levantamento também documenta carências estruturais, políticas de enxugamento e outras dificuldades enfrentadas pelas escolas da rede. Confira alguns dados.

  • 149 escolas relatam bibliotecas fechadas ou inexistentes
  • 111 escolas relatam problemas estruturais ou obras pendentes
  • 111 relatam laboratórios de informática fechados ou inexistentes
  • 31 sofrem fechamento de turnos
  • 48 também sofrem enturmações
  • 37 relatam turmas multisseriadas
  • 33 denunciam insuficiência na merenda escolar
  • 36 relatam falta de insumos básicos para limpeza e manutenção
  • 22 escolas ameaçadas de fechamento
  • 20 sofrem com o fechamento da EJA

Participe e ajude a divulgar:

 

 

Notícias relacionadas