Nota de Repúdio contra a violência


O CPERS Sindicato vem a público manifestar seu repúdio contra toda e qualquer forma de violência e intolerância, em todos os níveis. Em uma sociedade democrática, não é possível admitir que a violência seja utilizada como forma de repressão ao direito à livre expressão das cidadãs e dos cidadãos. Os últimos episódios de violência cometidos contra as manifestações democráticas e populares representam o retorno do fascismo e do autoritarismo. Não vamos admitir este retrocesso!
Não podemos aceitar casos de intolerância que ocorrem cotidianamente contra movimentos sociais, líderes sindicais, LGBTs, lideranças políticas e comunitárias, estudantes, mulheres e negros, entre outros.
Um dos casos mais recentes que ilustra esta onda de intolerância no país é o assassinato da vereadora carioca Marielle Franco, morta a tiros dentro do carro quando saia de um encontro com mulheres. A vereadora fazia o enfrentamento à violência, defendia os direitos das mulheres, lutava contra o genocídio do povo negro e estava na linha de frente no enfrentamento à intervenção militar no Rio de Janeiro, sendo a relatora da comissão responsável por acompanhar a intervenção na Câmara Municipal. Por toda sua luta, Marielle ficou na mira daqueles que não queriam que sua voz ecoasse ainda mais alto.
A violência contra as mulheres colabora, de forma significativa, para aumentar os índices. O feminicídio atinge níveis alarmantes. Segundo dados da Organização das Nações Unidas – ONU, a taxa de feminicídios no Brasil é a quinta maior do mundo.
Notícias diárias chocam pelo grau de violência, em todos os níveis, e acendem um sinal de alerta em relação ao estágio avançado da disseminação do discurso do ódio no país. Estamos vivenciando uma escalada fascista sem precedentes. E o mais assustador é o fato de que este cenário conta com a conivência e o apoio do Estado e das mídias.
Não podemos nos calar diante de fatos tão graves, que ameaçam a nossa integridade e a democracia.
Vamos juntos barrar os ataques aos nossos direitos e defender a democracia!

Notícias relacionadas