Nota de repúdio ao racismo e preconceito de Valter Nagelstein


O CPERS manifesta profundo repúdio ao discurso racista e discriminatório adotado pelo político Valter Nagelstein, candidato a prefeito derrotado pelo processo eleitoral democrático e em breve afastado de suas funções públicas na Câmara Municipal.

Ao se referir a jovens negros que protagonizaram histórica renovação no Legislativo da capital como de “nenhuma tradição política (…) e com pouquíssima qualificação formal”, Valter expõe um criminoso preconceito.

Para ele, que sempre representou uma elite majoritariamente branca, parece ser incompreensível que a população possa ser representada por semelhantes, em sua maioria trabalhadores(as) e sem histórico de privilégios.

O racismo é ainda mais explícito por se tratarem, os eleitos, de jovens experimentados nas lutas sociais e populares. O que significa “qualificação formal”? Se for acadêmica, registramos que alguns dos eleitos possuem mais qualificação do que o candidato não eleito.

Já a “tradição política” se renova e, felizmente, aponta para um horizonte de maior representatividade e justiça racial.

O CPERS, por meio do seu Coletivo de Igualdade Racial e Combate ao Racismo, reafirma sua defesa incondicional de práticas e de uma cultura antirracistas.

Goste Nagelstein ou não, as suas ideias são ultrapassadas. O futuro pertence à juventude, em sua maioria formada na escola pública. O fundamental é que todos os eleitos representem a expressão democrática da população.

Notícias relacionadas