No Dia Mundial do Meio Ambiente, CPERS reforça urgência de ações para conter desastres ambientais


O Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado nesta quarta-feira, 5 de junho, é um grito de alerta e um chamado à ação urgente contra a devastação ambiental que ameaça nosso planeta.

Sob o lema “Restauração da terra, desertificação e resiliência à seca”, este ano destaca com intensidade a necessidade de políticas eficazes para deter a crescente degradação ambiental.

As enchentes históricas que devastaram o Rio Grande do Sul são um doloroso lembrete da negligência do governador Eduardo Leite (PSDB) e do prefeito Sebastião Melo (MDB) para enfrentar os impactos das mudanças climáticas. 

A destruição de habitats naturais, o desmatamento desenfreado, a péssima gestão dos recursos hídricos e a alteração irresponsável da legislação ambiental agravam ainda mais as catástrofes naturais. 

O Código Ambiental do Rio Grande do Sul, que foi construído com nove anos de debates intensos, audiências públicas e aperfeiçoamentos, foi brutalmente desmantelado pelo governo Eduardo Leite (PSDB) em 2019, logo em seu primeiro ano de mandato.

O projeto do governador, aprovado por sua base aliada, eliminou ou alterou 480 pontos cruciais da lei ambiental do estado e provocou uma onda de indignação e acusações de retrocesso por parte de ambientalistas e da oposição política.

Essas mudanças, feitas em um tempo recorde e sem a devida discussão pública ou consulta de especialistas, são um escandaloso exemplo de como interesses empresariais foram colocados acima da vida das gaúchas(os) e da proteção ambiental.

Neste Dia Mundial do Meio Ambiente, é urgente que todos os setores da sociedade se unam em prol da preservação ambiental e da construção de um futuro mais sustentável para as próximas gerações. O CPERS reafirma seu compromisso em promover ações que contribuam para a restauração e proteção da terra.  

Notícias relacionadas