Nas ruas de Natal, mais de 5 mil pessoas participam da marcha política e cultural de abertura da Conape 2022


Mais de 5 mil trabalhadoras e trabalhadores da educação de todo país ocuparam as ruas de Natal, nesta sexta-feira (15), na marcha política e cultural de abertura da segunda edição da Conferência Nacional Popular de Educação (Conape 2022). Com orquestra de Frevo e um grupo de Maracatu, a categoria caminhou quase 5 km pelo centro da capital do Rio Grande do Norte com gritos de guerra em defesa de uma educação pública, de qualidade, democrática e laica.

Organizada pelo Fórum Nacional Popular da Educação (FNPE), a II Conape tem como lema “Educação pública e popular se constrói com democracia e participação social: nenhum direito a menos e em defesa do legado de Paulo Freire”. Entre os temas que serão discutidos no evento está a educação pública, popular e gratuita e uma profunda reflexão sobre qual projeto de nação e projeto de educação que o país precisa.

O presidente interino da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE), Roberto Leão, defendeu uma educação inclusiva na quais questões raciais e de gênero têm que ser tratadas nas escolas e afirmou que essa grande passeata, que abre a conferência, é a prova que o povo brasileiro é capaz de organizar de maneira autônoma e independente o debate sobre um tema tão caro para toda sociedade.

“Este ato é resultado do esforço coletivo, de todos e todas que se interessam em discutir educação no nosso país, porque sabe que é fundamental para ter um país alegre e justo. Tenho certeza que vamos fazer grandes discussões sobre a escola pública que queremos na Conape e para que o sonho de Paulo freire se torne realidade: uma escola que liberte e não adestre”, afirmou Leão.

>> ACESSE AQUI A PROGRAMAÇÃO DA CONAPE

O presidente em exercício do CPERS, Alex Saratt, afirma que a Conape 2022 é o momento para os trabalhadores(as) em educação darem uma resposta às fake news, aos cortes orçamentários, aos escanâlos no MEC e a todos os recentes ataques que à educação e aos educadores(as).

“A Conape 2022 é o momento onde o conjunto do movimento educacional brasileiro se reúne para debater e aprovar uma plataforma de lutas e um projeto político de educação, para enfrentarmos todos os ataques que tem acontecido e reconstruir a educação pública brasileira”, declarou durante a Marcha, em Natal.

Edson Garcia, vice-presidente do CPERS, destaca que a resistência dos trabalhadores(as) em educação vai barrar os avanços dos governos que querem acabar com a educação pública brasileira. 

“A Conape é um momento importante de luta, onde todos os sindicatos, trabalhadores e trabalhadoras em educação estão reunidos para lutar por uma educação pública de qualidade, nesse país que tem um presidente que quer destruir a educação, nós somos a resistência. Vamos acabar com esses governos que querem destruir a educação pública brasileira, à luta!”, ressaltou Edson. 

Luta nacional pela educação pública 

Os participantes da Conape 2022 se concentraram em frente ao Campus Natal-Central do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), no cruzamento das avenidas Salgado Filho e Nevaldo Rocha, e finalizaram, depois de quase 5 km de caminhada, com o ato político e cultural na Praça da Árvore, em Mirassol.

A secretária de combate ao racismo da CNTE, Ieda Leal, afirma que hoje os trabalhadores(as) da educação estão mostrando para o povo brasileiro o quanto a educação e demais categorias têm força para lutar.

“Nós queremos nosso país de volta. Estamos aqui para trabalhar por uma educação pública de qualidade e a II Conape chega no momento importante para gente melhorar os rumos e os caminhos que a educação pública desse país tem que tomar. Temos aqui homens e mulheres, população LGBT, estudantes e defensores da educação para gente dizer que nós vamos nos organizar e lutar por uma educação para todas e todos”, disse ela, durante a marcha.

Também estão presentes na Conape 2022, os diretores(as) do CPERS: Sonia Solange Viana, Rosane Zan, Cássio Ritter e Vera Lessês; e os representantes da base do Conselho Geral do Sindicato: Vilma Longerian (26° Núcleo), Andrea Nunes (6º Núcleo), Candida Rossetto (40° Núcleo) e Joara Dutra (30° Núcleo).

Pela manhã, a categoria fez credenciamento e conheceu o espaço da Conape, o Centro de Convenções. A partir deste sábado (16) começam os debates e atividades em torno da educação para todas e todos. O encontro, que encerra neste domingo (17), também vai deliberar um documento final, moções e uma Carta-Manifesto da II Conape.

Informações: CNTE e CPERS 

Notícias relacionadas