#NãoAoPLC259: último dia de vigília destaca motivação para a luta


“A nossa profissão é tão linda e nos sentimos tão pequenos. As pessoas, às vezes, passam na rua e ironizam a gente estar aqui, na chuva e no frio. Mas eu tenho orgulho, da minha classe, das minhas lutas. Enquanto eu puder estar à frente com os meus colegas, eu quero me fazer presente”. Este é o relato de Terezinha Madruga, professora de ciências e alfabetizadora aposentada, representante do 29º Núcleo (Santiago).

Terezinha integra o grupo das bravas guerreiras aposentadas, que encerraram o ciclo de três dias de vigílias, nesta segunda-feira (19), em frente ao Palácio Piratini. As aposentadas e aposentados enfrentaram a chuva, o frio e os ventos fortes dos últimos dias, mas não arredaram o pé em defesa do IPE Saúde e salário digno para todas e todos.

A educadora destaca que está há 42 anos na luta e se sente cada vez mais descontente e triste com os últimos governos.

“Nos últimos anos, só temos perdido, somos tratados com descaso, com desrespeito e, principalmente, pelo governo do Estado e os deputados da base aliada. Mas, temos que defender os nossos direitos”, afirma.

“Eu acho um absurdo! Com o que a gente recebe não dá para sustentar nossas famílias, muito menos os valores impostos para pagar o IPE Saúde nesse novo projeto que Eduardo Leite está propondo. Desde que eu comecei no Estado, tenho Instituto e, agora, que realmente precisamos, querem nos tirar”, destaca o professor aposentado do 39º Núcleo (Porto Alegre), Conceição Rodrigues da Rosa.

Vera Teixeira, professora aposentada e representante de 1/1000 do 29º Núcleo (Santiago), conta que perdeu praticamente todas as vantagens que tinha na carreira.  “É como ter um contrato de trabalho rasgado, literalmente”, desabafa.

Para Vera, o projeto do IPE Saúde seria “a pá de cal” na trajetória de retirada de direitos, do governador Eduardo Leite (PSDB). “Esse projeto não é um ajuste, é uma deformação total do que era o IPE Saúde. Agora que estamos envelhecidos e precisamos mais de uma assistência médica é completamente desumano o governo propor essa imoralidade. Viemos aqui dizer para os deputados que não é razoável, não é justo, não é nem descente o que estão propondo nesse projeto”, analisa Vera.

Amanhã é Dia de Luta!

O CPERS e a Frente dos Servidores Públicos (FSP) convocam todos os trabalhadores(as) para Paralisação Estadual em defesa do IPE Saúde e por salário digno.

A mobilização ocorre nesta terça-feira (20), data em que a proposta pode ser votada pelos deputados(as), com concentração, às 9h, em frente à sede do CPERS e caminhada até o Palácio Piratini. Pela tarde, às 14h, será realizada a Assembleia Geral Unificada, na Praça da Matriz.

Participe!

Notícias relacionadas