IPE Saúde disponibiliza orientações para segurados e prestadores de serviço em razão da situação de calamidade no RS


Devido às fortes chuvas e alagamentos, ocorridos nas últimas semanas em diversas regiões do Rio Grande do Sul, a sede do IPE Saúde, em Porto Alegre, foi afetada e o sistema do Instituto está fora do ar; em decorrência, os atendimentos presenciais e telefônicos da autarquia estão suspensos até a próxima sexta-feira (17). 

Além do atendimento na sede, o IPE Saúde solicita que as(os) seguradas(os) limitem suas visitas aos hospitais e serviços credenciados exclusivamente para casos de urgência e emergência, ou para tratamentos contínuos essenciais, como hemodiálise, radioterapia e tratamentos oncológicos.

Atualmente, aproximadamente 120 hospitais, em todo o estado, estão inoperantes devido aos danos causados pelas intensas chuvas. Portanto, antes de se dirigir aos serviços habituais, procure certificar-se das condições de atendimento vigentes e quais serviços permanecem disponíveis.

Informações sobre atendimentos

Ainda em face da instabilidade sistêmica, o IPE Saúde informa aos seus prestadores de serviço, como proceder com os atendimentos às(aos) seguradas(os). Confira abaixo:

1) Consultas: deverão ser realizadas normalmente.

2) Exames e Pronto Atendimento: serão autorizados, sem o registro do PIN PAD, os exames e atendimentos no Pronto Atendimento, até novo comunicado informativo do IPE Saúde.

3) Solicitações de GA’s: todos os atendimentos que necessitarem de GA’s, tanto para regime de internação como para tratamento ambulatorial, deverão ser realizados, uma vez que o IPE Saúde aceitará as solicitações de GA’s fora do prazo, permitindo a edição de data. Contudo, para esses atendimentos, devem ser rigorosamente obedecidas as Tabelas e Normativas vigentes do Sistema IPE Saúde, principalmente no que concerne aos Protocolos de Oncologia e Imunoterapia, com o fracionamento obrigatório dos medicamentos.

4) Procedimentos com perícia presencial: estão suspensas as perícias presenciais, devido ao alagamento ocorrido no prédio sede do IPE Saúde, o que perdurará até o retorno das rotinas administrativas no Instituto.

5) Até que o sistema seja restabelecido em sua plenitude: checagens quanto ao usuário estar ou não em carência, bem como ser ou não credenciado o médico solicitante, não serão objeto de glosa futura. Atendidas todas às orientações referidas pelo Instituto, os atendimentos e procedimentos realizados pelos prestadores serão aceitos e pagos pelo sistema após auditoria. 

O CPERS, ciente do difícil momento que vive o Rio Grande do Sul, segue acompanhando de perto a situação do IPE Saúde e demais serviços do governo do Estado neste período de calamidade. 

>> Para mais informações, consulte os canais oficiais do IPE Saúde:

Notícias relacionadas