Em resposta ao genocídio, entidades gaúchas lançam o Comitê Palestina Livre RS e realizam ato no dia 29 de novembro


Fotos: Matheus Piccini / CUT-RS e CPERS Sindicato 

Mais de 50 entidades, incluindo centrais, sindicatos, partidos, movimentos sociais e estudantis, uniram-se, na última terça-feira (21), para o lançamento do Comitê Palestina Livre RS: Cessar-fogo, já! Basta de genocídio!

O encontro histórico ocorreu no auditório do Sindicato dos Bancários, em Porto Alegre, e contou com a presença da Frente Gaúcha em Solidariedade ao Povo Palestino e da Federação Árabe Palestina do Brasil (FEPAL).

Este comitê surge em um momento crucial devido à grave situação enfrentada pelo povo palestino, em consequência ao genocídio promovido pelo estado de Israel. A iniciativa visa não apenas criar consciência e dialogar com a sociedade, mas também agir em prol de uma solução justa para a situação.

O CPERS está junto nesta causa por entender que é urgente e necessária a defesa ao direito inalienável de todas as crianças à vida, dignidade, segurança e educação, independentemente de sua origem étnica, religião ou nacionalidade. É inaceitável expor crianças à tamanha violência e brutalidade.

A dimensão dos acontecimentos ressalta a urgência de uma abordagem humanitária e o apelo por esforços internacionais visando a cessação imediata desses atos de violência devastadora. Por isso, o compromisso das entidades e movimentos na formação do comitê e a construção de uma frente unida em defesa de uma Palestina Livre se faz tão necessária.

Causa humanitária

Durante o encontro, o presidente da FEPAL, Ualid Rabah, expressou profunda gratidão pela solidariedade demonstrada. Ualid frisou que a luta pela Palestina não deve ser travada apenas pelo seu povo, mas também requer solidariedade internacional. Ele também observou que o apoio de diversas partes do mundo é fundamental para fortalecer a causa palestina.

Além disso, o dirigente da FEPAL fez uma breve retrospectiva dos momentos-chave em que comitês similares foram formados no Brasil, mencionando episódios como a invasão israelense em campos de refugiados no Líbano, em 1982, e o genocídio de 2008 a 2009.

Ualid expressou a esperança de que o Comitê Palestina Livre RS evite um possível refluxo após sua formação, buscando ser uma força democrática em defesa dos direitos do povo palestino.

Ato na próxima quarta

Ao final do encontro, ficou estabelecido para a próxima quarta-feira, 29 de novembro, a realização de um grande ato em apoio ao povo palestino no centro da capital gaúcha.

Nesta data também é comemorado o Dia Internacional de Solidariedade com o Povo Palestino, instituído pela ONU para lembrar o aniversário da Resolução 181, da Assembleia Geral das Nações Unidas, de 29 de novembro de 1947, que aprovou, sem consulta aos habitantes locais, o Plano de Partição da Palestina.

CPERS na luta contra o genocídio

Por entender a gravidade do momento, nesta quarta-feira (22), representantes da direção estadual do CPERS e o presidente da CUT RS, Amarildo Cenci, se reuniram com o presidente da FEPAL, Ualid Rabah, na sede do Sindicato.

A presidente, Helenir Aguiar Schürer, abriu o encontro ressaltando a importância do acesso a informações atualizadas e confiáveis sobre a situação. “Entendemos que conseguiremos conscientizar a sociedade sobre a real situação dos fatos com dados e números que comprovem o genocídio em curso contra o povo palestino. Nós queremos expressar nossa mais profunda solidariedade com as vítimas civis que, de maneira lamentável, tornaram-se parte desse conflito”, destacou.

“Precisamos ter essa conversa. Precisamos promover seminários, cursos de formações para sindicatos, centrais e educadores para ampliarmos esse debate. Vocês são fundamentais para colocar a Palestina no mapa”, afirmou Ualid.

O diretor do CPERS, Leonardo Preto, e o ex-presidente da FEPAL, Elayyan Aladdin, também acompanharam a reunião. 

Neste momento crítico de aprofundamento do conflito, que já dura 76 anos, fazemos um apelo pela paz no Oriente Médio! 

 

Notícias relacionadas