Educadores decidem por Estado de Greve em unidade com o Movimento Unificado


110915WEB_CPERS_3287

Em Assembleia Geral realizada nesta sexta-feira, dia 11, os educadores decidiram que, a partir da próxima segunda-feira, dia 14, estarão em Estado de Greve em unidade com o Movimento Unificado dos Servidores Públicos.
Cerca de 5 mil professores e funcionários de escola lotaram o Pepsi on Stage, local onde foi realizada a Assembleia. Um telão foi colocado ao lado de fora para aqueles que não conseguiram entrar no local, devido a ocupação máxima do ambiente.
Ao abrir a Assembleia, a presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer, lembrou que durante o Conselho Geral da entidade, realizado na manhã de hoje, a realidade relatada pelos conselheiros foi a de que a ampla maioria dos educadores sinalizou pela suspensão da greve. “O relato que recebemos dos nossos Núcleos foi o de que a ampla maioria da nossa categoria quer a suspensão da greve e a retomada das mobilizações em dias de votação na Assembleia e caso o governo volte a parcelar os salários. A unidade construída através do Movimento Unificado é uma grande conquista, é histórica”, observou.
“Essa é uma luta de longo prazo. Temos que estar unidos e mobilizados, pois só através da unidade teremos força para enfrentar esse momento crítico em nosso Estado”, observou o presidente da Fessergs, Sergio Arnoud, que participou como convidado no início da Assembleia.

No total, foram 8 propostas de mobilização aprovadas. As duas primeiras foram referendadas na Assembleia Geral, as demais foram aprovadas no Conselho do CPERS que também é instância deliberativa do Sindicato.

Confira as propostas aprovadas:

 1- Manter a unidade com os demais servidores públicos;

2- Suspender a greve no dia 11 de setembro e retornar ao Estado de Greve acompanhando o Movimento Unificado dos Servidores e instituindo como dias de luta, com greve, nos dias 15 e 22 de setembro e todos os outros dias que tenham votações de Projetos que ataquem os direitos dos servidores e realizar Ato Unificado com trabalhadores do campo e da cidade;

-15/09: dia “D” dos Depósitos;

-22/09: dia de greves e paralisações dos trabalhadores dos setores público e privado, do campo e da cidade;

3- Fortalecer o Acampamento Unificado na Praça da Matriz, em Porto Alegre, contando com a participação de representantes de Núcleos da Região Metropolitana, somados a representantes de Núcleos do interior do Estado;

4- Realizar, a partir do dia 16 de setembro, plenárias unificadas com a população e campanha de pressão nos deputados e partidos em suas respectivas regiões. Campanha “Agora eu quero teu voto”. Produzir adesivos para carro sobre a campanha e distribuir em todo o Estado;

5- Realizar a colagem de cartazes pressionando os partidos de base do governo em todas as cidades do Estado;

6- Em havendo parcelamento de salário no próximo mês, realizar greve unificada de três dias, a cada data de parcelamento, iniciando dia 30 de setembro e seguindo nos dias 1º e 2º de outubro, conforme construção com o Movimento Unificado dos Servidores;

7- Ativar a Comissão de Mobilização em cada Núcleo;

8- Participar da agenda do Movimento Unificado dos Servidores, com o governo, no dia 15/09.

 

Notícias relacionadas