Dia 3 terá escolas fechadas e ato por justiça salarial em Porto Alegre


Na mesma semana em que Eduardo Leite desmarcou a rodada de negociação com o CPERS – que aconteceria na segunda (27) -, o governo pleiteou aumentar o salário do presidente do Banrisul de R$ 51 mil para R$ 89 mil. O novo contracheque do gestor é o suficiente para pagar o básico de 141 professores(as) e atender a mais de 4 mil alunos em sala de aula.

Na semana anterior, aumentou os proventos de quem ganhava o teto do Executivo em até 16,38%, alegando cumprir ordem judicial. Enquanto isso, segue atrasando salários à revelia da Constituição do Estado e pagando o segundo pior salário do país para educadores(as) do Rio Grande do Sul.

No dia 3 de junho, vamos CRUZAR OS BRAÇOS e paralisar todas as escolas estaduais. Não é possível que a crise continue existindo apenas para os debaixo. A categoria está convocada para vir a Porto Alegre e exigir respostas. Realizaremos um grande ato estadual em defesa da educação e por justiça salarial, com concentração às 13h em frente ao CPERS.

Estamos em situação de miséria, acumulando empréstimos impagáveis para sobreviver aos 41 meses de salários atrasados e parcelados, e quatro anos e meio sem qualquer reajuste ou reposição da inflação.

Colegas estão sem dinheiro para ir trabalhar e escolhendo entre comer e pagar as contas.

Como Bolsonaro, o governador Eduardo Leite também “contingenciou” 30% dos repasses para verbas de autonomia financeira para os investimentos em escolas, sucateando a estrutura que atende mais de 80% dos estudantes gaúchos.

Agora, fala abertamente em estabelecer PPPs para entregar escolas públicas à gestão privada, um prato cheio para grandes empresas abocanharem recursos dos contribuintes, enquanto os verdadeiros problemas da educação são jogados para baixo do tapete.

Lembramos que, por deliberação da Assembleia Geral, cruzaremos o braço no primeiro dia útil de cada mês subsequente a um novo atraso salarial. Ainda não temos data para a próxima mesa de negociação e não há sinais de que receberemos o mês de maio em dia.

Contate seu núcleo do CPERS e venha a Porto Alegre cobrar, em alto e bom som: #NegociaEduardoLeite!

28,78% JÁ!
Não é reajuste, é JUSTIÇA!

Dia 30 de maio

No dia 30 de maio também estaremos ao lado dos estudantes em Porto Alegre e em todos os atos em defesa da educação no Rio Grande do Sul.

Orientamos que educadores(as) que puderem participar se somem às mobilizações do #30m em suas regiões contra os ataques à educação e à aposentadoria dos(as) trabalhadores(as). Não haverá paralisação orientada pelo Sindicato devido à data definida em Assembleia Geral e à Greve Geral da Classe Trabalhadora, marcada para 14 de junho.

Notícias relacionadas