CPERS acompanha reunião da Comissão de Direitos Humanos sobre perseguição política e abuso de autoridade


Representantes do CPERS  acompanharam, na manhã desta quarta-feira, dia 29, a reunião da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, que abriu espaço a relatos de perseguição política a um professor do interior do Estado e contra um repórter que cobria a ocupação da Secretaria da Fazenda, por estudantes, no dia 15 de junho.
No primeiro caso, o professor foi afastado de suas funções sob a acusação, conforme memorando apresentado pela deputada Manuela d’Ávila, de “apurar conduta incompatível com a atividade de docente consistente em apologia política em sala de aula”.
O jornalista Matheus Chaparini, repórter do Jornal Já, de Porto Alegre, preso por policiais na ocupação da Secretaria da Fazenda do RS, no dia 15 de junho, relatou na Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, nesta quarta-feira (29), como foi o ato da prisão e as horas em que permaneceu na carceragem da Polícia Civil. O depoimento de Chaparini ocorreu junto com o de estudantes que foram agredidos pela Brigada Militar no dia da ocupação. Além deles, o presidente do Sindicato dos Jornalistas do RS, Milton Simas acompanhou a reunião.
A vice-presidente da Comissão, deputada Manuela D’Ávila, definiu com os presentes que uma visita ao secretário de Segurança do RS, Vantuir Jacini vai ser agendada, quando explicações sobre as agressões vão ser solicitadas.
A diretora do CPERS, Ananda de Carvalho, acompanhou toda a reunião e reforçou que o Sindicato estará vigilante aos casos de perseguição e assédio a educadores, estudantes, apoiadores e imprensa. “Denunciaremos a violência que estudantes, educadores, apoiadores e a imprensa sofreram. Sempre lutaremos contra a criminalização dos movimentos sociais e a democracia”, afirma.

 

Notícias relacionadas